Home Notícias Suécia implanta primeira planta de classificação têxtil totalmente automatizada do mundo

Suécia implanta primeira planta de classificação têxtil totalmente automatizada do mundo

por redação

A planta de triagem é totalmente automatizada e separa resíduos têxteis mistos pré e pós-consumo. A fábrica faz parte do projeto financiado pelo governo da Plataforma Sueca de Inovação para Seleção de Têxteis (SIPTex), que visa desenvolver uma solução de triagem sob medida para as necessidades de recicladores de têxteis e da indústria de vestuário

STADLER e TOMRA entregaram a planta de triagem totalmente automatizada para Sysav Industri AB, que separa resíduos têxteis mistos pré e pós-consumo no Sul de Skåne, na Suécia. A STADLER projetou e construiu a planta, enquanto a TOMRA forneceu os classificadores NIR. A fábrica faz parte do projeto financiado pelo governo da Plataforma Sueca de Inovação para Seleção de Têxteis (SIPTex), que visa desenvolver uma solução de triagem sob medida para as necessidades de recicladores de têxteis e da indústria de vestuário.

A classificação dos têxteis de acordo com os vários tipos de fibras que contêm requer um alto grau de precisão. Atualmente é feita manualmente, mas o resultado não atende aos requisitos das empresas de reciclagem e da indústria da moda. Como resultado, apenas uma pequena quantidade de têxteis descartados é reciclada e o potencial para aumentá-la é enorme. O projeto SIPTex está explorando como alcançar a qualidade necessária por meio da automação.

Testando a tecnologia em têxteis

A planta de Malmö é a terceira fase do projeto SIPTex, vindo após um estudo teórico inicial e a construção de uma pequena planta piloto em Avesta na fase dois, também projetada e fornecida pela STADLER e TOMRA em 2017. Nesta segunda fase, o projeto coletou 700 toneladas de tecidos usados em centros de reciclagem. Após uma pré-triagem manual dos têxteis reutilizáveis, o material era alimentado na planta piloto de Avesta.
“Nosso objetivo principal foi testar a capacidade de nosso equipamento de separar os têxteis e identificar quaisquer alterações ou otimizações no processo que poderiam ser necessárias”, disse Urban Kozinc, gerente de vendas internacionais da STADLER. “O principal desafio foi que a separação automatizada de têxteis nunca havia sido feita antes. Trabalhando nesta planta piloto entendemos que o sistema de alimentação é muito importante, que as tremonhas e calhas precisam de um desenho especial devido ao tamanho do material têxtil e que as esteiras transportadoras precisam de correias especiais. Também tivemos que encontrar a maneira de conseguir um fluxo de material constante, sem picos. E aprendemos que a rotulagem dos têxteis nem sempre é 100% correta. Nesta fase do projeto, adquirimos o conhecimento que precisávamos para a terceira fase, a planta em escala industrial de Malmö”.

Urban Kozinc, gerente de vendas internacionais da STADLER

A primeira planta de classificação têxtil totalmente automatizada do mundo
A planta de classificação automatizada de têxteis em Malmö tem capacidade de até 4,5 toneladas/hora em uma linha. O material recebido, resíduos pré e pós consumo, é entregue em fardos pesando normalmente de 350 a 500 kg. O primeiro consiste em resíduos industriais secos de produtores têxteis, como recortes, fios e rejeitos. O segundo é composto por roupas e têxteis domésticos, que incluem material não selecionado de coleta seletiva de fontes como centros de reciclagem e resíduos industriais pré-selecionados manualmente de serviços de locação de têxteis. O material é separado em peças inteiras e pode conter botões, zíperes e outras peças não têxteis.

A planta foi inteiramente projetada pela STADLER em estreita cooperação com a TOMRA. O projeto incluiu o fornecimento do sistema de dosagem, correias transportadoras, unidades de separação ótica NIR, correias transportadoras de alta velocidade, correias bunker, prensa multimaterial, estruturas de suporte em aço, sistema elétrico e de controle, sistema de ar comprimido e sistema de desempoeiramento.

“No projeto piloto Avesta, demonstramos que a tecnologia de classificação NIR da TOMRA é capaz de reconhecer e diferenciar vários tipos de têxteis”, explica o gerente de projeto da STADLER, Matej Fuerst. “Na terceira fase, nosso objetivo era verificar se o sistema que projetamos poderia operar com sucesso em escala industrial e se as frações de saída alcançariam a pureza e a recuperação necessárias para a reciclagem e o reaproveitamento. Não existe tecnologia em escala industrial para reciclar têxteis sem a redução da qualidade dos mesmos, então tivemos que desenvolver uma solução completamente nova de separação”.

O co-iniciador do projeto foi a TOMRA Sorting Recycling, uma empresa pioneira em tecnologia de classificação baseada em sensor, que forneceu um classificador AUTOSORT® NIR VIS para o piloto da Avesta, e mais quatro para a planta de Malmö. “Poucas pesquisas estão disponíveis até agora sobre a reciclagem de frações têxteis. Para ser eficaz na classificação de têxteis não vestíveis pré e pós-consumo para fins de reciclagem, a classificação automatizada com base em sensores é a chave. Neste projeto, nossa tecnologia se mostrou eficiente na separação de diferentes frações têxteis por tipo de material e cor. Temos orgulho de fazer parte desse trabalho pioneiro”, afirma László Székely, vice-presidente de aplicações de plástico da TOMRA.

Conclusão e operação bem-sucedidas

A planta de Malmö foi entregue à Sysav Industri AB em meados de setembro de 2020 e atualmente está em sua fase inicial de operação. A STADLER conseguiu demonstrar que a separação automatizada em escala industrial de têxteis é possível: “A planta é totalmente automatizada: as pessoas são necessárias apenas para iniciar e parar a planta, alimentar o material e retirar os fardos da enfardadeira. É isso”, conclui Urban Kozinc.

Olof Linde, gerente de projeto de construção da Sysav Industri AB, está impressionado com todo o processo de desenvolvimento e construção: “Agradecemos a boa cooperação com a STADLER e a TOMRA e estamos muito orgulhosos de que, juntos, conseguimos erguer e colocar em funcionamento a planta nas condições atuais com a pandemia de coronavírus. Os funcionários da STADLER e da TOMRA foram extremamente competentes e dedicados à sua tarefa durante este projeto. Mesmo durante esse período especial de pandemia, nunca tivemos dúvidas de que todos os nossos requisitos seriam atendidos no final”.

Ele sente que a Sysav Industri AB encontrou os parceiros certos para este projeto: “Sentimos que a planta é de alta qualidade e é uma garantia para nós que embora a classificação automatizada de têxteis seja uma nova tecnologia, o conceito básico foi desenvolvido e refinado por STADLER e TOMRA em várias plantas existentes. Construir uma instalação única no mundo requer parceiros estáveis e experientes”.

O projeto SIPTex é financiado pela Vinnova, a agência do governo sueco que administra o financiamento do estado para pesquisa e desenvolvimento, e liderado pelo IVL, o Instituto Sueco de Pesquisa Ambiental.

Compartilhar
0 comentário

Posts relacionados

Deixe um Comentário