Home Notícias SC recebe primeiro sistema de controle de resíduos industriais no Brasil

SC recebe primeiro sistema de controle de resíduos industriais no Brasil

por redação
Ferramenta implantada no estado de Santa Catarina conta com a adesão de mais de 18 mil empresas da região e cerca de 328,7 mil Manifestos de Transporte de Resíduos (MTR) já foram emitidos

Ferramenta implantada no estado de Santa Catarina conta com a adesão de mais de 18 mil empresas da região e cerca de 328,7 mil Manifestos de Transporte de Resíduos (MTR) já foram emitidos

O presidente da Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre), Carlos Fernandes, e a engenharia química Fernanda Corradi, da Fundação do Meio Ambiente (Fatma), apresentaram o primeiro sistema de controle de resíduos industriais no Brasil, durante Seminário “Resíduos Sólidos”, realizado nesta semana, na capital paulista.

Trata-se do sistema declaratório de resíduos industriais implantado no estado de Santa Catarina, por meio de um acordo de cooperação entre a Fatma e a Abetre. A ferramenta conta com a adesão de mais de 18 mil empresas da região e cerca de 328,7 mil Manifestos de Transporte de Resíduos (MTR) já foram emitidos.
O sistema declaratório está em vigor no estado de Santa Catarina desde junho de 2015 e passou a ser obrigatório a partir de abril de 2016. Por ser feito de maneira online e via web, o sistema permite o acompanhamento em tempo real de todas as etapas da cadeia de destinação de resíduos sólidos no estado catarinense, incluindo a geração, o armazenamento, o transporte e o tratamento e disposição final, mesmo quando a origem ou destino dos rejeitos for fora do território catarinense.
O painel moderado pelo presidente da Abetre contou ainda com a participação de representantes da cadeia produtiva catarinense, incluindo uma organização de destinação final de resíduos
Para o presidente da Abetre, o País precisa de mecanismos de controle mais eficientes na gestão de resíduos industriais. “Embora a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) tenha sido um avanço na área de regulação, as autoridades ainda carecem de sistemas de controle e fiscalização junto ao setor produtivo brasileiro”, comenta Fernandes.
“O sistema declaratório, obrigação da PNRS, é uma importante ferramenta para a rastreabilidade de resíduos, trazendo segurança para todos os geradores com relação a destinação correta dos resíduos”, acrescenta.
1 comentário

Posts relacionados

1 comentário

guilherme 6 de setembro de 2016 - 5:23 pm

Muito boa a reportagem e de interesse de nossa empresa.

Resposta

Deixe um Comentário