Home SeçõesUniverso Água Gestão eficiente da água: em sintonia com os ODS da ONU

Gestão eficiente da água: em sintonia com os ODS da ONU

por redação

Conciliar desenvolvimento econômico com preservação do meio ambiente é um desafio global que se impõe às atividades produtivas. O desequilíbrio entre a utilização dos recursos naturais disponíveis e sua capacidade de renovação tem impactos diretos – negativos – no meio ambiente e no clima.

Diante da necessidade urgente de buscar uma harmonia entre o crescimento econômico e a sustentabilidade, a Organização das Nações Unidas (ONU) definiu 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Eles abrangem a sustentabilidade em diversas frentes e refletem os desafios do desenvolvimento mundial. Na agenda da ONU, a água, cujo gerenciamento é vital para a conservação do meio ambiente e para garantir saúde e bem-estar da população, ocupa lugar de destaque.

Alinhado aos ODS da ONU, o Polo Petroquímico do Grande ABC tem, voluntariamente, reduzido significativamente a captação de água (seja dos rios, mananciais ou rede de distribuição pública) e a geração de efluentes. Ao mesmo tempo, as 16 indústrias associadas ao Comitê de Fomento Industrial do Polo Petroquímico do Grande ABC (COFIP ABC) têm aumentado a capacidade de tratamento dos efluentes e ampliado o reúso da água decorrente dos seus processos produtivos. Menos consumo de água da rede pública, rios e poços artesianos e maior capacidade de tratamento de efluentes e de utilização de água de reúso resulta em alto retorno para a sociedade e para o meio ambiente.

Para alcançar a eficiência no uso racional da água e no tratamento de efluentes, as indústrias avaliam os processos produtivos, identificando os pontos de melhorias e estabelecendo planos de ação para as fragilidades identificadas. Para cada desvio encontrado, são realizadas manutenções preventivas e corretivas. Exemplos como a instalação de torneiras com fechamento automático, fechamento de circuitos de resfriamento, reaproveitamento de condensado de caldeiras e a realização de campanhas internas de conscientização contribuem de forma significativa para a redução do desperdício.

Alto nível de eficiência

Para os pontos mais críticos, são realizados investimentos em novas tecnologias e em sistemas eficientes de aproveitamento hídrico como os de captação de água da chuva e em complexos sistemas de tratamento de efluentes. Algumas unidades industriais atingiram um alto nível de eficiência com a implantação de plantas secas: os efluentes são tratados e reutilizados internamente em seus próprios processos industriais.

O monitoramento de dados referentes à captação de água e geração de efluentes líquidos por parte das empresas associadas ao COFIP ABC ao longo dos últimos cinco anos demonstram uma estabilidade, resultado de investimentos em processos produtivos mais eficientes, que permitem às indústrias produzirem mais, sem ter que elevar o consumo de água. Neste mesmo período, a taxa de reaproveitamento de efluentes subiu de aproximadamente 33% para 61,5% de eficiência. E esse valor tende a continuar crescendo ano a ano.

Em 2012, o Polo Petroquímico deu um passo importante para a preservação dos recursos hídricos da região, conhecida pela baixa disponibilidade hídrica. Com a implantação da Aquapolo, maior empreendimento da América Latina para a geração de água de reúso com fins industriais a partir do tratamento do esgoto, as empresas deixaram de captar e consumir água (em parte de rios e poços e outra potável), suficiente para atender uma cidade de 500 mil habitantes. Ao diminuir a captação de água potável, aumenta-se a disponibilidade desse recurso para outros fins e promove a manutenção e preservação de mananciais.

Cada vez mais as associadas do COFIP ABC têm buscado soluções para aprimorar a gestão dos recursos hídricos. A busca por novas tecnologias e inovações que possam colaborar para o uso racional da água é permanente e faz parte da nossa agenda de prioridades. Estamos cientes dos desafios e da responsabilidade que temos para assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis. Seguimos comprometidos com a sustentabilidade em toda a nossa cadeia de valor.

 

Por Carlos Barbeiro

Coordenador executivo de Segurança, Saúde e Meio Ambiente do COFIP ABC

Compartilhar
0 comentário

Posts relacionados

Deixe um Comentário