Home SeçõesEficiência Energética Empresas apostam em usinas solares para produzir energia limpa e mais barata

Empresas apostam em usinas solares para produzir energia limpa e mais barata

por redação

Retorno financeiro certo e cuidado com o meio ambiente impulsionam os projetos de geração de energia solar em usinas, como a da Cerâmica Pasquali

A grave crise hídrica enfrentada atualmente pelo Brasil, e o consequente aumento nas contas de energia elétrica tem impulsionado ainda mais o setor de energia solar fotovoltaica. No ano passado o crescimento em relação a 2019 já mostrava números expressivos, com um aumento de 64% na capacidade instalada de projetos solares. E os dados divulgados pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) sobre o primeiro semestre de 2021, confirmam essa tendência, eles mostram um aumento de 44% de novas adesões de consumidores à modalidade se comparado ao mesmo período de 2020.

Nesse cenário, além dos painéis solares em casas, prédios e empresas, as usinas de energia solar também ganham força. São instalações mais complexas, feitas no solo ou nos telhados. Além de estarem repletas de módulos fotovoltaicos (placas solares) com grande capacidade de geração de energia elétrica, as usinas possuem instalações de transformação e conexão de energia com a rede da Concessionária, as quais podem atingir altas voltagens para fins de distribuição. Nos últimos 10 anos alguns países, como China e Índia investiram pesado na construção desses parques, tendo na sustentabilidade e na economia seus grandes pilares.

Investimentos e ganho ambiental

Vista aérea das placas solares instaladas na Usina Grupo Geração

Atentas a essas vantagens, que devem fazer da energia solar a maior fonte de produção de eletricidade até 2050, empresas do sul do Brasil resolveram investir em usinas.  “Os sistemas de energia fotovoltaica proporcionam redução de até 95% na conta de energia elétrica, além de não ser poluente”, explica o gerente da Quantum Solar, Dilsonei Rigotti. E os resultados aparecem rápido. “O tempo para o investimento retornar na forma de economia na conta de luz, o chamado PayBack, é de cerca de cinco anos”, completa. Com 30 anos no mercado, o grupo Quantum Engenharia é referência em projetos e gestão de iluminação pública, sistema solar fotovoltaico, subestações e redes de distribuição de energia elétrica, estando presente com projetos em Santa Catarina e em mais nove estados brasileiros.

Um bom exemplo de adesão à energia solar, vem da cidade de São Mateus do Sul, no Paraná. A Cerâmica Pasquali, estima uma economia anual de 280 mil reais com a instalação dos módulos. O sistema, que já está em funcionamento, vai atender 70% do consumo de energia da fábrica. E os benefícios para o meio ambiente impressionam, em 25 anos o ganho ambiental é equivalente a preservação de 72 mil árvores.

Já em Santa Catarina, está sendo finalizada a instalação da usina do grupo de concessionárias Geração, em Biguaçu, na Grande Florianópolis. Ela atenderá as 11 unidades de venda da empresa em 100% da sua necessidade de energia. “Essa parceria com a Quantum é muito importante para nós, pois representa não só economia na conta de energia elétrica, mas uma contribuição efetiva com o meio ambiente”, destaca o diretor do Grupo Geração, Evandro Elias de Carvalho. A usina deve entrar em operação no mês de setembro e representar uma economia anual de cerca de 220 mil reais.

Crédito: Divulgação/Quantum

Compartilhar
0 comentário

Posts relacionados

Deixe um Comentário