Home SeçõesEconomia Verde Dia Mundial do Meio Ambiente: empresas dão bons exemplos

Dia Mundial do Meio Ambiente: empresas dão bons exemplos

por redação

Hoje, 5 de junho, é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente. Criado durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em 1972, passou a ser um relevante chamado a todas as esferas da população para os problemas ambientais. A data ressalta a importância da conservação dos recursos naturais e seu uso consciente, sem prejudicar o futuro do planeta.

O evento, que ficou conhecido como Conferência de Estocolmo, local onde foi realizado, iniciou uma nova forma de pensar sobre as questões ambientais ao redor do mundo, além de serem estabelecidos os princípios básicos para orientar a política ambiental em todos os países. Desde então, as empresas também valorizam a data em seu calendário de atividades e aproveitam o dia para divulgar suas ações e fortalecer as boas práticas ambientais em prol da sociedade atual e futura.

É o caso da Iguá Saneamento, que atua em sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário em cidades de cinco Estados do Brasil. A empresa comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente intensificando suas ações voltadas à preservação ambiental e ao estímulo para um comportamento mais sustentável.

O saneamento básico tem um papel importante na questão ambiental, a começar com a preservação das fontes de água na natureza. Por conta disso, a Iguá contempla, em seu planejamento estratégico de sustentabilidade, denominado SERR (Segurança hídrica; Eficiência na gestão do ciclo da água; Responsabilidade na coleta e no tratamento de esgoto; e Respeito às pessoas), uma série de iniciativas que objetivam promover, por exemplo, a segurança do abastecimento de água das cidades onde atua.

A Iguá tem como diretriz a preocupação constante com o uso sustentável dos recursos hídricos. O que vai desde a conservação e preservação dos mananciais, passando pelo uso crescente de energia renovável, reduzindo a emissão dos gases de efeito estufa, combate às perdas e desperdício de água, assim como o tratamento dos esgotos.

“O Dia Mundial do Meio Ambiente é uma oportunidade para refletirmos quanto aos impactos negativos da ação humana sobre o meio ambiente e da necessidade urgente de sermos mais sustentáveis no nosso cotidiano. Com o crescimento dos problemas ambientais, todos os agentes da sociedade, como governos, empresas e população em geral devem atuar para que seus impactos sejam diminuídos. Se nada for feito, e se não adotarmos o consumo consciente dos recursos naturais, como a água, colocamos em risco o modo como vivemos atualmente, comprometendo, inclusive, a sobrevivência das futuras gerações”, alerta Lia Basilio Pereira de Souza, Gerente de Sustentabilidade do Grupo Iguá.

Ações no Dia do Meio Ambiente

Para a Iguá, todo dia é dia de cuidar do meio ambiente, mas o dia 5 de junho é importante para chamar a atenção das pessoas quanto à necessidade de se preservar a natureza. Dessa forma, as operações da companhia programaram atividades educativas para estimular a conscientização das pessoas sobre o uso sustentável dos recursos naturais. “Cada um de nós pode fazer a sua parte. No nosso dia a dia devemos, por exemplo, evitar o desperdício de água, dar a destinação correta ao lixo que geramos e contribuir para a preservação das matas e florestas”, acrescenta Paula Violante, diretora de Engenharia do Grupo Iguá.

As concessões de Cuiabá (MT), Andradina, Palestina, Castilho, Mirassol, Piquete, Guaratinguetá, Atibaia (SP), Paranaguá (PR) e Itapoá (SC) irão promover plantio e doação de mudas para clientes e colaboradores. A ação também ocorre em Suzano (SP), com a SPAT Saneamento.

“Pensar em soluções sustentáveis para as cidades é o compromisso da Iguá. Com ações que vão além transformação do saneamento básico das cidades, estamos realizando atividades que aproximam os clientes de mudanças voltadas aos padrões de consumo e preservação do meio ambiente. Integrar a população às práticas como plantio de mudas, é um dos caminhos para construir uma sociedade ambientalmente responsável, declara William Figueiredo, diretor geral da Águas Cuiabá.

Já em Tubarão (SC), está sendo realizada uma exposição resultante de um concurso de fotografias de alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) do município, feitas com as câmeras doadas à instituição pela concessionária. Na ocasião, também haverá a distribuição de mudas.

Intervenção cultural pelo Dia Mundial do Meio Ambiente cria movimento coletivo por mundo mais sustentável

 Iniciativa desenvolvida pela BRK Ambiental promove reflexões sobre a data e intervenção cultural urbana em São Paulo, Limeira (SP) e Maceió (AL)

Para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente a BRK Ambiental, empresa privada de saneamento básico presente em 125 municípios brasileiros, lança a campanha “Conexão Futuro – Qual é o seu desejo para o meio ambiente?”. O objetivo da companhia é estimular as pessoas a avaliarem como os atos do presente podem contribuir com a construção de um mundo mais sustentável.

A proposta é criar um movimento positivo capaz de estimular o compartilhamento de hábitos mais saudáveis e sustentáveis, conectando todos a um futuro melhor. A ação foi desenvolvida pela agência OKE e aposta em uma linguagem inspirada na arte visual urbana, com peças criadas com exclusividade pelo ilustrador alagoano Herbert Loureiro. O conteúdo está apoiado em quatro pilares: economia, consumo, educação e isolamento social, com mensagens que promovem reflexões sobre economia circular, consciência ambiental, redução da emissão de gases poluentes com a diminuição dos deslocamentos, entre outros.

 Projeção visual

A ação será apresentada nas redes sociais da companhia, em anúncios na mídia impressa e em spots de rádio. Além disso, neste dia 5 de junho, as ilustrações feitas por Herbert Loureiro iluminarão fachadas de prédios das cidades de São Paulo, de Limeira, no interior do Estado, e da capital alagoana, Maceió. Moradores do entorno ou quem passar pelos locais entre 18h e 22h poderão ver projetadas quatro ilustrações que trazem mensagens que incentivam à reflexão ambiental, como “Pequenos gestos definem gerações” e “Compartilhe sustentabilidade, multiplique caminhos”.

A escolha das cidades não foi aleatória. São Paulo abriga a sede da BRK Ambiental. Já Limeira é uma das poucas cidades do Brasil a contar com o saneamento básico universalizado. Ou seja, 100% dos moradores contam com água e esgoto tratados. Foi a primeira cidade brasileira a conceder os serviços à iniciativa privada, em 1995, e hoje é uma referência nacional. Na capital de Alagoas, a situação é diferente. A BRK Ambiental inicia o trabalho em 13 cidades da região metropolitana de Maceió a partir de julho. Trata-se da concessão de saneamento mais recente do Brasil. Hoje, apenas 27% da população da região contemplada nesta concessão têm acesso à coleta e ao tratamento de esgoto. A empresa tem como principais metas a universalização dos serviços de água até 2027 e o atendimento de 90% da população da região com sistema de esgotamento sanitário até o final do contrato. No total, cerca de 1,5 milhão de pessoas serão beneficiadas.

Em São Paulo, a intervenção será na avenida da Consolação, na esquina da rua Caio Prado. Em Limeira, a projeção será no Edifício Tatuibi, na Rua Carlos Gomes, no Centro. Já em Maceió, os conterrâneos de Herbert Loureiro poderão ver o trabalho do artista no Edifício Toulouse, na Rua Deputado José Lages, 613, em Ponta Verde.

“A pandemia provocou uma série de impactos no mundo, inclusive no meio ambiente, e o nosso objetivo é transmitir uma mensagem de conscientização e acolhimento. Queremos estimular a coletividade e criar conexões que incentivem hábitos e atitudes mais sustentáveis. Acreditamos que as ações positivas praticadas no presente reverberam no futuro”, reforça Juliana Calsa, diretora de comunicação da BRK Ambiental.

Para concluir o projeto, ao término das intervenções, será produzido um vídeo case para destacar os impactos da ação promovida pela BRK Ambiental. Serão feitas imagens e colhidos depoimentos de pessoas que passarem pelo local das projeções. A proposta é capturar as reações e expressões das pessoas impactadas pela iniciativa. O vídeo contará ainda com narração de um manifesto, criado a partir de mensagens relacionadas ao tema que foram enviadas nas redes sociais da companhia durante o período da campanha.

Negócios fomentam mercado de sustentabilidade e contribuem para conservação ambiental

 Consciente, Acquazero, economiza 20 milhões de litros de água todos os meses com limpeza automotiva ecológica; Orgânica Body&Spa aposta em cosméticos veganos

Os impactos da atividade humana, principalmente a industrial, diante da natureza também provocam danos e, por isso, a sustentabilidade tem sido pauta de muitos debates.  E tanto no Brasil, quanto no mundo, a sociedade vem se envolvendo cada dia mais com essa causa.

De acordo com a pesquisa “Um Ecodespertar: Medindo a consciência global, engajamento e ação pela natureza“, da organização WWF, o engajamento da população com as causas ambientais cresceu 16% nos últimos cinco anos.

O relatório, feito pela Economist Intelligence Unit (EIU) a pedido do WWF, englobou 54 países, onde está 80% da população mundial e cobriu um período de cinco anos, de 2016-2020.

Os resultados mostram um crescimento contínuo de 71% em pesquisas na internet por produtos sustentáveis, um aumento de tuites relacionados à causa em 82%, com o envolvimento de líderes espirituais como o Papa, políticos, celebridades e grandes organizações do jornalismo como BBC e The New York Times. O volume de notícias sobre o tema cresceu 60% e a quantidade das que abordam protestos contra a destruição da natureza atingiu seu pico em 2019.

Consumo dita tendência

O comportamento do consumidor reflete no mercado, levando marcas e empresas a entrarem nesse universo consciente, como é o caso da Acquazero. Criada em 2009, a empresa que é especializada em limpeza automotiva, seguiu a linha ecológica, e desde então vem realizando serviços de estética automotiva utilizando o mínimo de água – como, por exemplo, a lavagem ecológica que usa apenas 300 ml.

“A Acquazero nasceu em um momento muito crítico de racionamento de água no Brasil. A marca sentiu que poderia fazer algo para mudar essa realidade e ajudar o mundo e, as pessoas gostaram da proposta e foram aderindo aos serviços. Atualmente, além de consolidados, somos referência no País quando o assunto é estética automotiva sustentável”, comenta Henrique Mol, diretor executivo da empresa.

No mesmo ano de inauguração, a marca se tornou franquia. Hoje são mais 500 unidades por todo território nacional. Mol estima que, em média, apenas com limpeza ecológica, as unidades atendam 75 mil clientes ao mês, e isso gera uma economia de pelo menos 20 milhões de água – no mesmo período.

“A cada ano são milhares de litros de água economizados! As pessoas estão entendendo que todos devemos economizar esse bem natural para promover a sustentabilidade do nosso planeta e garantir o abastecimento das gerações futuras. E para nós, poder contribuir de verdade para isso, é muito gratificante”, comenta Mol.

Em outros processos, a Acquazero também trabalha com a metodologia ecológica. O diretor explica que todos os produtos utilizados são biodegradáveis e, quando é necessária a utilização de água, como a limpeza de estofados, por exemplo, o uso do mínimo de água se repete.

A aceitação do público pelos serviços vem crescendo constantemente. Recentemente, a franquia até ampliou as atividades, e passou a oferecer lavagem ecológica para embarcações e aeronaves.

Transformando a natureza em acessórios

 Enquanto muitos ainda descobriam o conceito de sustentabilidade, a Orgânica Body&Spa, em meados de 1989, já disputava espaço nas prateleiras com seu produto “natural”. A empresa, conduzida pelo casal de empreendedores Luiz Galhardi e Pérola Galhardi, startou a ideia de transformar a natureza em acessórios de higiene e limpeza, com a bucha vegetal.

Desde então, a marca evoluiu e, hoje, a variedade abrange desde itens para corpo e banho, a perfumes, velas e muitos outros acessórios. “A sustentabilidade sempre esteve presente em nossa cultura. Nosso propósito, desde o início, é de desenvolver produtos que não agridem o meio ambiente e que sejam de alta qualidade para o consumidor. Com o tempo fomos nos aperfeiçoando, e hoje, nos orgulhamos em dizer que temos o maior portfólio de acessórios para banho do mercado e uma linha completa de cosméticos veganos”, fala João Galhardi, diretor de marketing da marca.

A bucha vegetal ainda proporciona outro ciclo de sustentabilidade, sua produção consegue impactar positivamente o tripé sustentável: Economia (geração de empregos e renda), Social (parceria com pequenos agricultores) e ambiental (biodegradável e reutilizável).

Os produtos desenvolvidos pela marca possuem ativos vegetais, a Orgânica não utiliza em seus produtos, parabenos (conservantes químicos) e excesso de química, e ainda não realiza testes em animais. Além disso, Galhardi conta, que todas as fórmulas são desenvolvidas por um químico, cosmetólogo e perfumista, especializados.

Consumo em alta

Contribuindo para a disseminação do consumo consciente através de experiências positivas de autocuidado, a Orgânica entrou para o franchising em 2019. Atualmente possui mais de 20 franqueados por todo o Brasil e, realiza cerca de 1,2 milhões de vendas, todos os meses, através da somatória de toda a rede.

“As pessoas buscam cada vez mais utilizar em sua rotina, produtos que respeitam o meio ambiente e a vida. Esse é um mercado que vem crescendo muito no Brasil e, sentimos isso no nosso dia a dia, através dos nossos clientes”, conclui Galhardi.

Números comprovam tendência

Pesquisas confirmam o posicionamento do empresário. Segundo um estudo divulgado pela Technavio, a estimativa é de que o mercado global de cosméticos veganos pode crescer o equivalente a quase R$ 18 bilhões até 2024, com uma taxa de crescimento anual composta de 4%. O aumento é avaliado como bem positivo, considerando as limitações impostas pela pandemia de Covid-19.

Em março, um relatório publicado pela ReportLinker informou que o segmento pode ultrapassar um valor global de R$ 118 bilhões até 2027, com taxa de crescimento anual composta de 5,1% e crescimento de mais de R$ 34 bilhões.

Já uma pesquisa da Grand View Research estima que até 2025 o mercado de cosméticos pode chegar a valer mais de R$ 106 bilhões, e impulsionado principalmente por jovens consumidores.

Neoenergia destaca investimentos e ações para um futuro mais sustentável

Iniciativas da empresa promovem conscientização e fomento à energia renovável e à conservação do planeta

Em uma data cada vez mais relevante, a Neoenergia reforça o seu compromisso com o desenvolvimento sustentável por meio de iniciativas que promovem a conscientização na sociedade e a conservação do meio ambiente. Neste Dia Mundial do Meio Ambiente, a companhia lembra um de seus principais pilares, que é o investimento robusto em energias renováveis. Apenas no primeiro trimestre de 2021, foram destinados R$ 461 milhões ao desenvolvimento dessa área de negócio, sendo grande parte para os projetos eólicos da empresa.

“A Neoenergia seguirá atuando de forma responsável, cuidando dos ecossistemas e respeitando o meio ambiente, com o foco na promoção de um desenvolvimento econômico e social plenamente sustentável. Adotamos uma estratégia pautada em gerar energia renovável, construir redes cada vez mais inteligentes e proporcionar soluções para nossos consumidores de modo a afirmar a nossa contribuição para a transição energética”, completa Francisco Carvalho, superintendente de Inovação e Sustentabilidade da Neoenergia.

Para complementar a estratégia, como uma excelente prática, a Neoenergia possui um Sistema de Gestão Ambiental, que segue as diretrizes corporativas globais e possibilita o desenvolvimento de uma estrutura ambiental comum entre as empresas do Grupo. Tem ainda como objetivo medir e avaliar seu desempenho ambiental de acordo com os diferentes planejamentos de negócio, respeitando os padrões regionais e especificidades de cada país.

Nessa jornada ambiental, a companhia atua para a redução das emissões e realiza o inventário próprio de emissão de gases de efeito estufa (GEE), verificado por auditores independentes, que permite identificar oportunidades e estratégias necessárias para alcançar a meta de neutralizar as emissões de carbono até 2050.

As ações da empresa vão além da geração de energia mais sustentável, promovendo iniciativas diversas nas suas áreas internas. As Usinas Hidrelétricas realizam inúmeros projetos ambientais, como o de reflorestamento nas regiões do entorno, garantindo preservação, manutenção e aumento da flora local, bem como a recuperação das nascentes dos rios. Ao todo foram 128 nascentes recuperadas e nove áreas de percurso dos rios revitalizadas, entre os estados do Pará e Mato Grosso.

A área de Transmissão, por sua vez, pode destacar o programa de afugentamento e resgate de fauna, que protege os animais próximos aos locais de operação das subsidiárias do Grupo. Também é promovido na companhia o projeto de captação de água da chuva, com o objetivo de reaproveitar um recurso natural e abundante em determinadas épocas e regiões do Brasil.

Essas e outras iniciativas estão alinhadas ao compromisso da Neoenergia com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). Entre os 17 objetivos, a Neoenergia prioriza o cumprimento dos objetivos 7 (Energias Renováveis e Acessíveis) e 13 (Ação pelo Clima) e contribui diretamente com os ODS 6 (Água Potável e Saneamento), 9 (Indústria, Inovação e Infraestrututa), 15 (Vida Terrestre) e 17 (Parcerias e Meios de Implementação).

Mustela® mantém ações de sustentabilidade, reforçando o seu compromisso com o planeta

Marca conquistou dois selos em 2020 por reforçar o seu comprometimento com a conservação ambiental

A pandemia alterou a vida das pessoas, levando para dentro de casa o trabalho e a escola, deixando as relações mais intensas e complicadas para a grande maioria da população mundial. E esta mudança no estilo de vida fez o meio ambiente também sofrer e muito, pois nestes mais de 365 dias de reclusão humana, as florestas e toda a sua cadeia sustentável, sentiram o aumento do desmatamento e a diminuição severa da biodiversidade.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que houve um aumento de 34,5% nos alertas de desmatamento, em relação ao mesmo período do ano anterior. Em julho de 2020, foi registrado 1.654 km² desmatados.

Queimadas, contaminação industrial de mares e rios, desaparecimento de corais. Um dos maiores impasses que nos distancia da conservação ambiental é a poluição do ar, principalmente em grandes cidades, onde há maior circulação de carros e quantidades de fábricas.

Todos têm responsabilidade de cuidar do meio ambiente, seja pelos cidadãos, com atitudes simples como recusar o uso de descartáveis, seja empresas, que podem e devem criar estratégias para minimizar os impactos ambientais provocados pelo seu negócio.

Algumas companhias conscientizaram-se e fazem diariamente ações para manter o planeta em equilíbrio. Um bom exemplo de comprometimento com a sustentabilidade é a Expanscience,laboratório farmacêutico francês detentor da Mustela®, primeira marca dermo-bebê do Brasil, presente no País desde 2013.

Em 2020, Mustela Brasilrecebeu o seloAmigo do Climauma nova certificação concedida devido à compensação das emissões de gases de efeito estufa (GEE) utilizadas no deslocamento de suas frotas realizados em 2019. “No último ano, foram compensadas 60 toneladas de CO2 por meio do cancelamento voluntário de créditos de carbono, nos permitindo compensar as emissões de gases que provocam o efeito estufa. Assim, nos mantemos firmes com o compromisso Net Zero”, comenta Wellington Santos, diretor geral Brasil & LATAM do Laboratório Expanscience.

Em 2018, a marca recebeu a certificação B Corp por associar a sustentabilidade e responsabilidade social em suas práticas de crescimento econômico. E, durante a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas 2019 (COP-25) em Madrid, a Expansciente detentora da marca Mustela®e outras 500 empresas certificadas do Sistema B, se comprometeram a zerar a emissão de gás carbônico até 2030, ação chamada Net Zero.

Outra certificação conquistada pela Expanscience  foi  o selo CSR – Responsabilidade Socio Corporativa em português – certificado pela AFAQ, que se baseia nos princípios de responsabilidade social, governança, comunicação, recursos humanos, condições de trabalho e relações internas, produção sustentável, padrões de consumo e respeito ao consumidor. A chancela, anteriormente entregue em 2013 e 2016, certifica a companhia pela terceira vez com a mais alta classificação de responsabilidade social. A Expansciencefoi a primeiro laboratório farmacêutico na França a ser reconhecido com conduta exemplar.

Há mais de 70 anos, Mustela®, seus profissionais e um renomado time de cientistas do laboratório Expanscience e do mundo realizam programas de pesquisa em dermatologia para melhor entender a pele de bebês, crianças, gestantes e novas mamães, tal como suas necessidades específicas. Durante este processo, criaram seu modelo de epiderme infantil patenteado chamado de Stelaskin®, para validar a tolerância das fórmulas de seus produtos que passam por mais de 450 medições e testes antes de chegar às prateleiras. Graças a essa inovação, conseguimos estudar diferentes tipos de pele com mais profundidade, entender melhor o impacto de tensões específicas da pele e avaliar e testar todos os nossos produtos nesses modelos de pele reconstituída, sem recorrer a testes em animais, garantindo máxima segurança e cuidado.

Com 40 anos de experiência em matéria-prima de origem vegetal, a Expanscience desenvolve ingredientes ativos cosméticos inovadores. Óleos, pós e manteigas são submetidos a rigorosos testes biológicos e clínicos, com registros de patentes e publicações científicas, a fim de garantir alta tolerância e eficácia comprovada.
O laboratório usa tecnologias que respeitam as pessoas e nosso meio ambiente, incluindo: destilação molecular, um processo verde para separar e concentrar as substâncias mais valiosas dos óleos, e biotecnologias, como a engenharia enzimática, um método alternativo a certas substâncias químicas.

Todas as plantas que permitem à marca o desenvolver e obter os princípios ativos, como abacate ou schizandra, estão em linha com a política de Responsabilidade Sócio Empresarial. Estão sob o controle da UETB (União pelo BioComércio Ético) e atendem aos critérios desta organização que incentiva práticas que respeitam as pessoas e o planeta. Ingredientes naturais provenientes da agricultura orgânica e responsável, economia circular e upcycling, para cuidar de toda cadeia produtiva, evitar o desperdício e reaproveitar insumos que seriam descartados pela indústria alimentar para compor as fórmulas dos produtos Mustela.

A fábrica da marca Mustela® está localizada na França, em Épernon. A planta conta com certificação ISO 140001 e funciona com energia renovável há mais de dois anos. Além disso, desde 2010, as embalagens de Mustela® foram revisadas e formuladas de maneira a reduzir os materiais utilizados em sua fabricação, deixando somente o necessário, e tornando-as 100% recicláveis.

As certificações – Amigo do Clima, B Corp, UEBT e CSR – são resultados do trabalho inovador da Expanscience em oferecer dermocosméticos concebidos por um modelo de extração sustentável e ético dos ativos naturais, que respeitam o meio ambiente, a biodiversidade e as comunidades locais.

Arkema celebra Dia Mundial do Meio Ambiente com incentivo a ações sustentáveis

Grupo francês destaca a segregação de resíduos em projetos educacionais voltados aos colaboradores

 O grupo francês Arkema celebra em todas as suas unidades ao redor do mundo o Dia Mundial do Meio Ambiente com ações educacionais e informativas voltadas a separação de resíduos. O objetivo é ampliar a conscientização dos colaboradores, reforçando o compromisso da empresa com o meio ambiente.

Além de materiais com orientações distribuídos nas unidades da Arkema e vídeo explicativo sobre o tema, os funcionários também serão convidados a compartilhar por meio de vídeos as melhores práticas de separação de resíduos em suas áreas.  Um grupo de jurados formado por um time global da Arkema irá avaliar e premiar as melhores ações.

“Num mundo que enfrenta desafios econômicos, ambientais e sociais consideráveis, a Arkema esforça-se por trazer aos seus clientes soluções sustentáveis e inovadoras que contribuam para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas e o cuidado com o meio ambiente é parte decisiva nisso. Por isso, investimos constantemente na conscientização e treinamento de nossos colaboradores”, afirma Eric Schmitt, Presidente da Arkema Brasil.

Roca Brasil Cerámica aposta em mapeamento inédito para monitorar impactos ambientais

Primeira no setor a investir a Análise do Ciclo de Vida, a empresa busca transparência e novas metas sustentáveis

 A Roca Brasil Cerámica, empresa referência no setor de revestimentos cerâmicos e porcelanatos, detentora das marcas Roca Cerámica e Incepa, se orgulha de compartilhar o resultado de sua Análise de Ciclo de Vida (ACV), estudo que monitora os impactos de seus processos e produtos no meio ambiente. “Somos a primeira indústria de revestimentos cerâmicos nacional a investir em tal mapeamento. Acreditamos na relevância desses indicadores para nosso planejamento estratégico, entendendo os desafios e oportunidades que a Roca Brasil Cerámica tem pela frente, para trabalhar sempre com muita ecoeficiência”, afirma Sergio Wuaden, managing director da Roca Brasil Cerámica. A ACV mapeou as etapas de extração da matéria-prima, transporte de insumos e produção dos revestimentos da Fábrica 1 da empresa, em Campo Largo (PR).

Detalhada na íntegra no site oficial da Roca Brasil Cerámica, a Análise do Ciclo de Vida é um documento importante para a companhia, que preza pela transparência da marca, e ainda é o ponto de partida para novas metas sustentáveis. “A Roca Brasil Cerámica busca constantemente iniciativas sustentáveis, evoluindo lado a lado com nossos clientes. Esta análise permitiu à empresa um direcionamento focado e claro para melhorar ainda mais os resultados e estratégias sustentáveis”, afirma o presidente. Ela também contribuiu para os profissionais do setor, que podem obter pontuação para certificações sustentáveis, como a LEED.

Ciente que o ACV é um estudo de alta relevância, a Roca Brasil Cerámica já iniciou o monitoramento em sua outra unidade fabril, em São Mateus do Sul, com previsão de conclusão para dezembro de 2021.

Roca Brasil Cerámica e água

Com produtos desenvolvidos aliando inteligência e sustentabilidade, de forma a minimizar a utilização de recursos, facilitando questões de logística e priorizando a saúde humana, a Roca Brasil Cerámica reavaliou seus processos após o desenvolvimento da ACV e já conta com resultados concretos. Um exemplo foram as contínuas melhorias no uso água. Hoje, a Roca Brasil Cerámica utiliza 49% menos água que a média brasileira divulgada para 1 m² produzido em processos de via úmida. A empresa também trata 100% da água utilizada em seus processos, através de Estação de Tratamento de Água e Estação de Tratamento de Efluentes. A quantia de água excedente devolvida a Bacia Hidrográfica do rio Cambuí, na fábrica de Campo Largo, tem a garantia de uma qualidade maior do que a da água original. “Para maior economia, passamos também a utilizar retíficas a seco”, destaca Sergio Wuaden.

Extração de matéria-prima

A extração responsável é outro ponto de destaque da Roca Brasil Cerámica, que conta com fábricas em Campo Largo e São Mateus do Sul, localizações estratégicas e com alta disponibilidade de matéria-prima acessível. 64 % dos insumos são originários do Paraná, o que, além de reduzir os impactos ambientais resultantes do transporte, incentiva a economia local. “Possuímos políticas internas de reaproveitamento de matéria-prima e minimização de desperdícios ao longo do nosso processo de manufatura”, afirma também o presidente. As quebras de materiais que ainda não passaram pelo processo de queima são retornadas e reinseridas ao início do processo produtivo, já as quebras de materiais que passaram pelo processo de queima são enviadas a outras empresas, que as reaproveitam como matéria-prima.

Além do controle criterioso de resíduos, a tecnologia empregada na fabricação dos produtos é essencial para a economia de insumos. A linha Contínua+, por exemplo, conta com sistema moderno que utiliza menos matéria-prima na produção das peças.

Energia e otimização de recursos

A busca por evolução e otimização de recursos é constante na Roca Brasil Cerámica, que tem 79% da energia utilizada proveniente de fontes limpas. Além disso, os fornos nas unidades de Campo Largo operam apenas com gás natural e todo o calor que sai deles é reaproveitado em outros equipamentos que utilizam combustível para geração de calor, o que resulta em uma economia de 225.000 m³ de gás natural por mês. “Com essa economia de recursos, nós evitamos a emissão de 560 toneladas por mês de CO2 eq. Isso equivale a mais de 5.100 viagens de carro da cidade de São Paulo até a cidade do Rio de Janeiro”, afirma Sergio Wuaden.

Grupo Roca e parceria com Schneider Electric

Em nível global, o Grupo Roca ainda anuncia parceria com a Schneider Electric, especializada na transformação digital de gestão e automação de energia, para definir um novo roteiro para a descarbonização, estabelecendo uma estratégia alinhada em todas as 85 fábricas e filiais da companhia, que está presente em 170 países. “No Grupo Roca trabalhamos todos os dias para otimizar os nossos processos produtivos, incorporando as mais recentes tecnologias com o objetivo de reduzir a nossa pegada ambiental, bem como proporcionar à sociedade produtos que aliam o bem-estar ao respeito pelo ambiente. Longe de estarmos satisfeitos, queremos continuar avançando nessa estratégia e oferecer a todas as nossas divisões e fábricas uma estrutura comum que nos permita continuar impulsionando nossa descarbonização”, disse o CEO do Grupo Roca, Albert Magrans.

 

Marca de semijoias adota práticas socioambientais para ajudar na conservação do meio ambiente

A Gazin Semijoias, considerada o maior e-commerce de atacado de semijoias do País, implementa medidas ESG como prática diária dentro da empresa

Problemas graves no meio ambiente, como a escassez de água e a poluição do ar, por exemplo, chamam atenção e despertam a necessidade de estabelecer o consumo consciente e o desenvolvimento sustentável, para mostrar como algumas ações do homem interferem e atingem o planeta de forma catastrófica e irreversível. O Dia Mundial do Meio Ambiente traz consciência sobre o que está acontecendo no mundo e qual é a sua verdadeira situação em relação aos problemas ambientais, não só para a população, mas também para as instituições presentes nos países.

Com o intuito de apoiar o equilíbrio ambiental e mostrar as visões diante dos aspectos voltados ao meio ambiente e à sociedade brasileira, muitas empresas estão adotando práticas ambientais, sociais e de governança, mais conhecidas pela sigla ESG (Environmental, social and corporate governance). “Cuidar do meio ambiente, ter responsabilidade social e adotar melhores práticas de governança são questões que a Gazin tem como compromisso e prioridade. São práticas que a empresa considera importantes, já que aqui a sustentabilidade também é tratada como uma estratégia de negócio”, explica Caio Gazin, CEO da Gazin Semijoias, marca de acessórios femininos que adota muitas dessas práticas ambientais e que acabou de lançar o seu modelo de franquias, com foco no home based, uma ótima oportunidade para quem quer começar o seu próprio negócio, mesmo em épocas de crise, com investimento inicial acessível.

A empresa, fundada em Limeira, interior de São Paulo, está sempre em constante evolução quando se trata de questões relacionadas à sustentabilidade. “Na Gazin, todas as peças que não são vendidas, são reutilizadas em novas coleções, aproveitando, assim, a matéria-prima dos produtos”, explica Caio. Já as embalagens plásticas das semijoias estão sendo substituídas por outro material  e um novo processo de embalar as peças está em processo de criação, a fim de reduzir a quantidade de plástico usada no dia a dia. “Com essa mudança, a empresa deixa de usar mais de 250 mil saquinhos plásticos por mês e contribui para a não agressão ao meio ambiente”, completa.

A fábrica da Gazin, também conta com um regenerador de água, que ajudou a diminuir consideravelmente o consumo dentro da empresa, reduzindo o gasto de 50 mil litros por semana para 5 mil litros. “Outro ponto que vale ressaltar é que, mesmo não sendo obrigatório por lei, fazemos a lavagem dos gases que são emitidos de dentro da indústria, para devolvê-los ao meio ambiente”, reverbera Caio. “Além disso, a empresa conta com uma estação de tratamento, onde cuidamos de toda água com impurezas que vem da produção de semijoias. Em grandes tanques, essas impurezas são decantadas e, com isso, a água é liberada no esgoto, para o meio ambiente, de uma forma limpa e sem causar danos a ninguém”, finaliza o CEO.

Destilaria 100% sustentável aposta em plantação orgânica e utilização do bagaço para destilar cachaça

De acordo com a pesquisa “Crescimento do Consumo Sustentável on-line”, feita pela empresa Mercado Livre, 2,5 milhões de pessoas de toda América Latina compraram produtos sustentáveis entre o período de junho de 2019 e maio de 2020

A preocupação com causas sustentáveis tem crescido cada vez mais entre os brasileiros, comportamento que vem influenciando até nas compras pela internet. De acordo com a pesquisa “Crescimento do Consumo Sustentável on-line”, feita pela empresa Mercado Livre, 2,5 milhões de pessoas de toda América Latina compraram produtos sustentáveis entre o período de junho de 2019 e maio de 2020. Só no Brasil foram 1,4 milhões de consumidores.

Tal crescimento fez com que as empresas investissem cada vez mais nessa causa. Dados da Associação Brasileira de Energia Solar (ABENS) mostram que o setor de energia solar no Brasil conseguiu R$13 bilhões de investimentos no ano passado, 52% a mais do que em 2019. Apesar de ser um assunto que ganhou força há pouco tempo, empresas consagradas no mercado, e com décadas de atuação, investem na sustentabilidade há anos.

No mercado desde 1948, a destilaria Weber Haus está sediada em Ivoti (RS), e pode ser considerada uma empresa 100% sustentável. “Cada vez mais as pessoas estão engajadas em questões ambientais, então, quando vão adquirir algum produto, observam se é de uma empresa que possui iniciativas sustentáveis”, diz Evandro Weber, diretor da destilaria. Toda a energia necessária na fabricação das bebidas vem de produção própria, através de placas solares.

A empresa também se preocupa no momento de gerir os resíduos da fabricação para evitar impacto ambiental. “A partir do bagaço, é feito um composto usado como adubo na plantação da cana-de-açúcar, deixando o solo mais macio e com novos nutrientes, já que trabalhamos com produtos orgânicos”, explica Evandro. Outra parte do composto é utilizada na produção do vapor da caldeira, responsável pela destilação da cachaça. Já o Vinhoto, que é o caldo dencana não utilizado na produção de cachaças é também aproveitado como adubo.

Além disso, toda plantação da Weber Haus possui certificação orgânica: “Cada vez mais estamos investindo no setor de orgânicos, impulsionados pelas novas demandas de mercado e preocupados com a questão da sustentabilidade”, destaca o executivo.

“Notamos que a aceitação da cachaça orgânica é muito maior no mercado, tanto no interno quanto no exterior.” – complementa. Por conta dessa política sustentável, pioneirismo e um portfólio eclético, a Weber Haus conseguiu se consagrar como uma das marcas mais respeitadas no mercado de destilados. A destilaria inclusive se tornou uma atração turística no Rio Grande do Sul. “Queremos mostrar que uma marca tradicional também é engajada com pautas mais atuais e que temos responsabilidade ambiental em todos os processos de produção de nossas bebidas”, finaliza.

A Weber Haus também é uma das empresas que possuem o selo Eu Reciclo, que certifica que a marca destina recursos à cadeia de reciclagem, através da compensação ambiental de pelo menos 22% das embalagens, de acordo com as normas previstas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos. O vidro das garrafas especiais de Cachaça e Gin da destilaria é reciclado.

Compartilhar
0 comentário

Posts relacionados

Deixe um Comentário