Home SeçõesEficiência Energética Com investimento de R$ 750 milhões, empresa de geração distribuída de energia solar chega a Minas Gerais

Com investimento de R$ 750 milhões, empresa de geração distribuída de energia solar chega a Minas Gerais

por redação

As primeiras usinas já estão em construção no estado. Além de gerar emprego e renda na região, o diferencial é o fornecimento de energia solar (sustentável e mais barata) utilizando a rede elétrica já existente, sem necessidade de instalações e estrutura

O estado de Minas Gerais foi escolhido para iniciar as operações da AXS Energia, empresa de importante grupo econômico voltado à energia, notadamente em infraestrutura e engenharia, que congrega mais de 4 mil colaboradores e que tem a Araxá Solar como uma das pioneiras do setor. Com investimentos previstos de R$ 750 milhões em diversas usinas, a AXS tem sua primeira usina em construção em São Gonçalo do Sapucaí e, em agosto, serão iniciadas as obras de mais duas em Passos e Prata. Até o final do ano serão, ao menos, cinco usinas operando no estado, sendo que em 2023 a expectativa é de 30 unidades em MG e demais distribuídas em outros entes federativos

No último trimestre de 2021, espera-se que praticamente todas as cidades mineiras tenham disponíveis os serviços da empresa, especializada em geração distribuída de energia solar. Entre os principais benefícios aos clientes, estão: a economia –diversos planos disponíveis com desconto em sua conta de energia; praticidade – não há necessidade de investimento, nenhuma instalação ou burocracia, a distribuição é realizada pela estrutura já existente de rede elétrica; e sustentabilidade – a geração de energia limpa, sustentável e consciente.

O atendimento, inicialmente será dedicado a clientes de baixa tensão comerciais (pequenas empresas com conta de energia acima de R$ 400 por mês) mas, ainda este ano, será oferecido também para residências.

Fatores favoráveis

Minas Gerais foi o estado escolhido para o início das operações por diversos fatores favoráveis, como condições climáticas e alto potencial de geração solar, possibilidades de oferecer propostas competitivas ao consumidor, legislação adequada e um mercado receptivo. Além do investimento no estado, que pode chegar a R$ 1 bilhão em três anos, a empresa tem uma previsão de gerar 150 empregos até o final de 2021 e mais de mil no próximo ano.

A região do sul de Minas Gerais foi estrategicamente escolhida para a construção da primeira usina por possuir um ótimo índice de radiação solar, com temperatura amena, o que contribui com a performance dos equipamentos eletromecânicos e geração dos módulos fotovoltaicos. A qualidade da infraestrutura da rede também contribuiu para a decisão.

“Nosso objetivo é que cada região que receber uma usina da AXS tenha uma espécie de ‘selo verde’. Seja referência na geração de sua própria energia de forma limpa e consciente.”, explica Alysson Barros Paolinelli, diretor de Operações da AXS Energia.

Ele acrescenta, ainda, que o estado conta com excelentes técnicos e engenheiros, o que aumenta a capacidade de atrair novos talentos para a empresa. “É uma parceria vantajosa para todos, na qual as cidades recebem investimento e têm os benefícios na geração de emprego local e renda, além da garantia de sustentabilidade na geração de energia. E nós poderemos utilizar da mão de obra qualificada para desenvolver o negócio. E é claro, os comerciantes e, futuramente, todos os cidadãos, se beneficiarão desta energia limpa e mais barata, gerando valor à sua região”, complementa.

A AXS Energia atenderá, numa primeira fase, comércios e empresas de pequeno e médio porte que tenham um consumo entre 400 e 22.000 KWh por mês. Em breve, qualquer residência também poderá adquirir os serviços. Atualmente, a cota da primeira usina em construção já está praticamente negociada. Os interessados podem realizar simulações e já contratar os serviços por meio do site da empresa.

“As usinas de energia solar são um primeiro passo do Grupo em Minas Gerais. Estamos atentos a diferentes possibilidades de investimento e, em breve, apresentaremos novas alternativas ao mercado mineiro nas áreas de armazenamento, mobilidade e principalmente parcerias para veículos elétricos”, finaliza Paolinelli.

Compartilhar
0 comentário

Posts relacionados

Deixe um Comentário