Home SeçõesEficiência Energética BBCE inaugura primeiro pregão de derivativos de energia do Brasil

BBCE inaugura primeiro pregão de derivativos de energia do Brasil

por redação

Infraestrutura disponibiliza registro e negociação em um único ambiente. A Plataforma Derivativos BBCE teve um total de 16 contratos realizados, totalizando 27.384 MWh e um volume financeiro de cerca de R$ 7 milhões

A BBCE, ecossistema que simplifica e transforma os negócios do mercado de energia, realizou, dia 18 de janeiro, às 10h, a abertura do primeiro pregão de derivativos de energia do Brasil. A nova Plataforma Derivativos da BBCE é pioneira ao oferecer, em um único ambiente, o registro e a negociação de contratos a termo de energia elétrica tanto padronizados como não padronizados.

Com um DNA totalmente digital, todo o projeto de desenvolvimento da plataforma se inspirou nas melhores práticas globais para o setor, na simplicidade e na experiência do usuário. Segundo o presidente da BBCE Carlos Ratto, este momento é histórico para o setor. “Trazemos uma plataforma criada por uma empresa cujo core business é o setor de energia e totalmente pensada, customizada e amplamente testada pelo mercado. Mais de 100 profissionais do setor participaram de reuniões e testes para chegarmos a esse resultado”, explica.

O contrato a termo de energia elétrica permite hedge e posicionamento, possibilitando ao investidor a compra ou venda de um ativo em uma data no futuro a um preço acordado no momento do registro. Um dos grandes diferenciais da BBCE é que não somente as instituições financeiras – como bancos, fundos e corretoras – podem operar. “Nossa aprovação ocorreu de forma a propiciar o acesso aos agentes do mercado livre, sem a necessidade de intermediários”, completa Ratto.

Desta forma, diferente do mercado físico, que tem como órgão regulador a Câmara de Comercialização de Energia (CCEE), no mercado de derivativos esse papel é da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Em apoio ao desenvolvimento do mercado, a BBCE criou a estrutura autônoma de Supervisão e Monitoramento de Mercado (SMM), que, nos últimos meses, desempenhou um importante papel educacional. “Realizamos uma série de webinars, reuniões e atividades para levar ao mercado conhecimento sobre a atuação da SMM para que estivessem prontos para esse momento”, explica.

A BBCE é a primeira administradora de balcão com plataforma de negociação a receber, desde a criação da Instrução ICVM 461, de 2007, autorização da CVM. “Seremos o agente de cálculo que irá informar os valores liquidação representados pela diferença entre o preço negociado e o respectivo PLD ”, diz Ratto.

Uma protagonista do mercado livre

No mercado físico de energia, a BBCE possui um histórico de protagonista para o crescimento do setor. A empresa, é hoje líder em negociações do mercado livre, pois disponibiliza uma plataforma de serviços integrados para compra e venda que possibilita mobilidade, agilidade e segurança para os agentes do mercado livre. Nos oito anos de operação, firmou cerca de 200 mil contratos, registrou a marca de 500 mil GWh negociados e movimentou mais R$ 100 bilhões. E, em 2020, atingiu recorde de negociações com 183 mil GWh, o que representa cerca de 30% do total de energia consumido no país.

Os clientes da BBCE são responsáveis por 80% da energia negociada no mercado. Os volumes cursados em seus sistemas representam ¼ de tudo o que é registrado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

O que são derivativos de balcão

São contratos financeiros cuja formação do preço está sujeita à variação de preços de outros ativos, mais precisamente dos seus respectivos ativos-objeto. Nos derivativos oferecidos pela BBCE, os Contratos a Termo de Energia Elétrica, não existe a entrega física desse ativo, apenas a liquidação pela diferença entre o preço negociado e valor de referência do ativo-objeto no vencimento.

Carlos Ratto explica que os derivativos de balcão são eficientes instrumentos para mitigação de riscos de variação do preço da energia. “Os derivativos são um dos mais eficientes mecanismos de proteção contra a oscilação de preços, as chamadas operações de hedge”.

Os derivativos também são instrumentos eficientes para posicionamento na variação do preço de um ativo-objeto, no caso energia elétrica. Carlos Ratto afirma que os agentes do mercado de livre, bancos e fundos que quiserem se posicionar na variação de preços de energia podem encontrar nos derivativos uma ferramenta eficiente, segura e transparente.

De acordo com o executivo, “o derivativo de energia elétrica abre a oportunidade para que este importante ativo – que não tem uma correlação com outros ativos do mercado financeiro – possa fazer parte da estratégia de diversificação das carteiras de fundos de investimento”.

Em sua estreia em derivativos de energia, mercado movimentou 27.384 MWh no primeiro dia

No total, foram 16 operações realizadas por 9 comercializadoras

A BBCE encerrou, às 18h, o primeiro pregão de negociação de derivativos de energia do Brasil. Aberta às 10h do dia 18, a Plataforma Derivativos BBCE teve um total de 16 contratos realizados, totalizando 27.384 MWh e um volume financeiro de cerca de R$ 7 milhões.

Um total de 9 empresas realizaram negócios hoje e autorizaram formalmente a divulgar os respectivos nomes. Foram elas América, Apolo Comercializadora, Capitale, COMERC, Delta, Kroma, Libra, Matrix e Newcom. Os contratos semanais, uma novidade trazida pela BBCE junto com a Plataforma de Derivativos, já estão entre os que foram negociados no dia.

De acordo com Carlos Ratto, presidente da BBCE, esse é apenas o início do trabalho. “Agora temos um esforço para trazer mais players do setor de energia e também do mercado financeiro. O interesse por este novo instrumento para o mercado de energia é crescente e tende a aumentar ainda mais a partir de hoje”, complementa.

A Plataforma Derivativos da BBCE é pioneira no país a possibilitar em um ambiente único a negociação e o registro de derivativos de balcão de energia, sejam eles padronizados ou não. A companhia é líder no mercado livre de energia e oferece a única solução para negociação nesse setor com liquidez e volume.

Fundada em 2012, a BBCE nasceu do mercado para o mercado. Foi criada por um grupo de importantes comercializadores de energia para ser fonte de liquidez e eficiência e para conectar e criar soluções que transformam o mercado de energia, contribuindo para o seu desenvolvimento com transparência e segurança.

Compartilhar
0 comentário

Posts relacionados

Deixe um Comentário