Home SeçõesEficiência Energética ACCIONA Energia recebe financiamento da Comissão Europeia para irrigação solar

ACCIONA Energia recebe financiamento da Comissão Europeia para irrigação solar

por redação

Novos sistemas de irrigação irão beneficiar 2.000 agricultores na bacia do Ebro, na Espanha, além de trazer economia no consumo de água, reduzir custos de energia e eliminar as emissões de carbono associadas aos combustíveis fósseis

A Agência Executiva para o Clima, Infraestruturas e Ambiente (CINEA) da Comissão Europeia concedeu um subsídio de € 4,35 milhões a um projeto promovido pela ACCIONA Energia que consiste na instalação de sistemas inteligentes de irrigação movidos a energia fotovoltaica para cerca de 2.000 agricultores na bacia do Ebro, na Espanha.

O projeto oferecerá uma vantagem tripla às comunidades beneficiárias de irrigação na bacia do Ebro (La Rioja e Aragón): zero emissões de carbono, economia significativa de água e redução nas contas de energia.

O projeto “Inovação em Bombagem Fotovoltaica em Comunidades de Irrigação” prevê a instalação de centrais fotovoltaicas de 7,35 MWp, com uma produção estimada em cerca de 12.000 MWh por ano, o que evitará a emissão anual de 1.800 toneladas de CO2.

Os módulos solares fotovoltaicos irão alimentar as redes de rega, de forma a eliminar as emissões de carbono associadas ao consumo da rede elétrica ou das bombas a óleo diesel. A eficiência no monitoramento e regulação do sistema também permitirá economia de água para irrigação, minimizando os problemas causados pela escassez de água. Essa economia no consumo de água, por sua vez, resultará na necessidade de bombear menos água, o que também economizará nas contas de energia.

Integração de energias renováveis

Dado que a agricultura representa 70% do consumo de água na Espanha e que os episódios de seca se tornam mais frequentes, esta solução contribui para tornar as explorações agrícolas mais sustentáveis e resistentes aos impactos das alterações climáticas e é um exemplo de integração das energias renováveis no território e no o campo agrícola.

O projeto, que exigirá um investimento total de cerca de 7,5 milhões de euros, é liderado pela ACCIONA Energia e envolve ainda a Universidade Politécnica de Madrid (UPM), a Federação Nacional das Comunidades de Rega, a consultoria de engenharia Rural e Agroalimentar (Cingral), Qualificação Fotovoltaica (QPV) e as Comunidades de Irrigação do Alto Aragón.

Inovação

O projeto incorpora duas grandes inovações. A primeira é a tecnologia usada para estabilizar a injeção de energia no sistema. Ela foi desenvolvida e patenteada pela UPM como resultado do projeto de pesquisa Maslowaten, que também foi financiado pela Comissão Europeia no programa H2020.

A tecnologia é complementada por um sistema descentralizado de monitoramento avançado, análise automatizada de desempenho, detecção e geração de relatórios de falhas, melhorando a eficiência da irrigação. E o resultado é um sistema de irrigação fotovoltaico autônomo, eficiente e de alta potência sem baterias.

A segunda inovação importante é o modelo de negócio do projeto, pelo qual os agricultores não terão que pagar o custo inicial da instalação. Ao invés disso, eles amortizarão o custo por meio de um Contrato de Compra de Energia (PPA) de longo prazo com o fornecedor de energia solar para suas redes de irrigação. Esses PPAs oferecerão aos agricultores um preço competitivo e estável que reduzirá a exposição às flutuações do mercado de energia.

 

Compartilhar
0 comentário

Posts relacionados

Deixe um Comentário