Estudo de vantagens da captação de água de chuva para uso doméstico


    |

|     sexta-feira, 15 de abril de 2011 [28 Comentário(s)]


Helber Henrique de Oliveira Lorenzete;
Estudante do curso de Tecnologia em Gestão Ambiental na Empresa, da FAAL – Faculdade de Administração e Artes de Limeira

Dr. Ricardo Luiz Bruno;
Docente FAAL - Faculdade de Administração e Artes de Limeira

 1 – Introdução

A água encontra-se disponível sob várias formas e é uma das substâncias mais comuns existentes na natureza, cobrindo cerca de 70% da superfície do planeta. É encontrada principalmente no estado líquido, constituindo um recurso natural renovável por meio do ciclo hidrológico. Todos os organismos necessitam de água para sobreviver, sendo sua disponibilidade um dos fatores mais importantes a moldar os ecossistemas. É fundamental que os recursos hídricos apresentem condições físicas e químicas adequadas para sua utilização pelos organismos, eles devem conter substâncias essenciais à vida além de estar isentos de outras substâncias que possam produzir efeitos deletérios aos organismos que compõem as cadeias alimentares. Assim, disponibilidade de água significa que ela está presente não somente em quantidade adequada em uma dada região, mas também que sua qualidade deve ser satisfatória para suprir as necessidades de um determinado conjunto de seres vivos (biota). (BRAGA ET AL, 2006)
Atualmente, com o aumento da demanda devido ao crescimento populacional, a água tem se tornado um recurso natural cada vez mais escasso. Uma das maneiras viáveis para a minimização do problema é a captação de água de chuva, onde a água captada pode ser utilizada para fins domésticos, tais como descargas em vasos sanitários, torneiras de jardins, lavagens de roupas, de calçadas, automóveis e até para o consumo humano, desde que receba o devido tratamento.
Com um sistema de captação de água de chuva é possível reduzir o consumo de água potável e consequentemente os gastos, minimizar alagamentos, enchentes, racionamentos de água e ainda preservar o meio ambiente reduzindo a escassez dos recursos hídricos, além de minimizar o arraste de lixos e resíduos de automóveis para os corpos hídricos através das águas pluviais.
O presente artigo tem como objetivo mostrar as vantagens em se utilizar sistemas de captação de água de chuva.


2 – Revisão Bibliográfica

2.1 – Águas Pluviais

As águas de chuva são encaradas pela legislação brasileira como esgoto, pois ela usualmente vai dos telhados, e dos pisos para as bocas de lobo, onde, como "solvente universal", vai carreando todo tipo de impurezas, dissolvidas, suspensas, ou simplesmente arrastadas mecanicamente, para um córrego que vai acabar dando num rio que por sua vez vai acabar suprindo uma captação para Tratamento de Água Potável. Essa água sofreu um processo natural de diluição e autodepuração, ao longo de seu percurso hídrico, nem sempre suficiente para realmente depurá-la. Uma pesquisa da Universidade da Malásia concluiu que após o início da chuva, somente as primeiras águas carreiam ácidos, microorganismos, e outros poluentes atmosféricos, sendo que normalmente pouco tempo após a mesma já adquire características de água destilada, que pode ser coletada em reservatórios fechados. Em resumo, a água de chuva sofre uma destilação natural muito eficiente e gratuita. Esta utilização é especialmente indicada para o ambiente rural, chácaras, condomínios e indústrias. O custo baixíssimo da água nas cidades, pelo menos para residências, inviabiliza qualquer aproveitamento econômico da água de chuva para beber. (CETESB, 2010)
Segundo Júnior (2009), “as águas pluviais são aquelas que se originam a partir das chuvas. A captação dessas águas tem por finalidade permitir um melhor escoamento, evitando alagamento, erosão do solo e outros problemas”.
Já Neto (2010) salienta a importância da água em nossas vidas “cada vez mais, a água é o centro de nossas atenções, pois não bastasse ser a maior constituinte do corpo humano, a ideia de sua escassez irá inviabilizar a vida humana”, e mostra os benefícios do aproveitamento das águas de chuva “os pensamentos em todas as áreas, neste século XXI, devem estar voltados não só para um consumo responsável, mas também para novas formas de aproveitamento desse líquido. Uma prática cada vez mais frequente nas construções é o aproveitamento de águas pluviais para fins não-potáveis, como lavagem de jardins e calçadas e descarga de vasos sanitários”, mas também alerta sobre a importância em se ter um tratamento de qualidade, pois, “apesar de ser uma boa iniciativa, o cidadão que fizer uso de tal sistema deve se lembrar de que a água não tratada, quando em contato com a pele humana, pode causar alergias e infecções, por isso, recomenda-se que a água armazenada seja tratada”.

2.2 – O ciclo hidrológico

A água pura (H2O) é um líquido formado por dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio e os cientistas acreditam que apareceu no planeta a cerca de 4,5 bilhões de anos atrás. O ciclo da água, também denominado ciclo hidrológico, é responsável pela renovação da água no planeta. O ciclo da água inicia-se com a energia solar, incidente no planeta Terra, que é responsável pela evapotranspiração das águas dos rios, reservatórios e mares, bem como pela transpiração das plantas. As forças da natureza são responsáveis pelo ciclo da água. A água é fator decisivo para que a vida surgisse e se desenvolvesse na Terra. O vapor d'água forma as nuvens, cuja movimentação sofre influência do movimento de rotação da Terra e das correntes atmosféricas. A condensação do vapor d'água forma as chuvas. Quando a água das chuvas atinge a terra, ocorrem dois fenômenos: um deles consiste no seu escoamento superficial em direção dos canais de menor declividade, alimentando diretamente os rios e o outro, a infiltração no solo, alimentando os lençóis subterrâneos. A água dos rios tem como destino final os mares e, assim, fechando o ciclo das águas. A movimentação da água na natureza é mostrada na Figura 1. (CETESB, 2010)
 

 

 

2.3 – Declaração Universal dos Direitos da Água

Atualmente sabemos a importância que a água tem em nossas vidas e que é fator essencial para a sobrevivência dos seres humanos. Devido tamanha importância, a ONU (Organização das Nações Unidas), em 22 de março de 1992, instituiu a Declaração Universal dos Direitos da Água, que conta com dez itens sobre o uso consciente da água. A seguir, os itens dessa importante declaração:
Item 1: A água faz parte do patrimônio do planeta. Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão, é plenamente responsável aos olhos de todos.
Item 2: A água é a seiva de nosso planeta. Ela é condição essencial de vida de todo vegetal, animal ou ser humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura.
Item 3: Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.
Item 4: O equilíbrio e o futuro de nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.
Item 5: A água não é somente herança de nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como a obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.
Item 6: A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.
Item 7: A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.
Item 8: A utilização da água implica em respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.
Item 9: A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.
Item 10: O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.

2.4 – O problema da escassez de água no mundo

Temos nos preocupado constantemente com racionamentos e cortes de bens e serviços indispensáveis a nossa sobrevivência. De tal forma, que acabamos nos sentindo amedrontados, ameaçados no nosso dia-a-dia. O custo de vida, conseqüentemente, acaba aumentando, devido aos incessantes reajustes nas tarifas desses bens e serviços. Logo, somos obrigados a tomar alguma atitude, ou seja, cortar gastos de setores das nossas finanças em que ainda tenhamos algo a relegar, ou conseguir alguma forma de ganhar mais, aumentando assim, o nosso poder aquisitivo. A água é um desses bens indispensáveis, sem as quais não poderíamos viver. Ainda que na atualidade a falta desse bem não se apresente como um grande problema para a América Latina e, em especial ao Brasil, este é um tema de suma importância a todos nós. Em uma rápida síntese sobre as condições da água, vemos que apesar da terra ser coberta por cerca de dois terços de água ou mais precisamente 71% da superfície, o planeta está começando a passar por problemas de escassez da mesma. Do total de água existente no mundo 97,5% são de águas que se encontram nos Oceanos, ou seja, água salgada, restando apenas 2,5% de água doce. E nem mesmo esses 2,5% podem ser totalmente aproveitados, pois 1,75% se encontram em calotas e geleiras polares, restando tão somente 0,75% desta água podendo ser considerada aproveitável. Devemos ressaltar ainda que essa quantia deverá ser dividida entre 6 bilhões de pessoas (total de habitantes no mundo). Devido a esse problema, já vemos em vários locais do mundo, principalmente no Oriente Médio (onde o problema é mais grave), as constantes desavenças que a escassez de água vem proporcionando. (WANDSCHEER, 2003).
Ainda segundo CETESB (2010) a escassez de água “é agravada em virtude da desigualdade social e da falta de manejo e usos sustentáveis dos recursos naturais. De acordo com os números apresentados pela ONU - Organização das Nações Unidas - fica claro que controlar o uso da água significa deter poder”.

2.5 – Sistema de captação de água de chuva

Com o sistema de captação de água de chuva é possível armazenar a água e utilizá-la de acordo com as necessidades da residência. Com a captação de água de chuva é possível economizar água potável, uma vez que serviços gerais como lavagem de quintal, carros, descargas em vasos sanitários podem ser feitos com a água armazenada.
Cobertura: É a parte de uma edificação que tem por finalidade proteger as áreas construídas contra a ação do tempo (chuva, neve, raios solares, etc.). (JÚNIOR, 2009)
Águas da Cobertura: É a área do telhado composta de uma superfície plana, que, por sua inclinação, conduz para uma mesma direção as águas das chuvas, que terão de ser captadas de alguma forma, como calhas, grelhas, etc. (JÚNIOR, 2009)
Beiral: É o prolongamento do telhado além das paredes externas. Normalmente, é projetado para proteger os vãos (portas, varandas e esquadrias) das chuvas e da insolação direta. Para captar as águas pluviais que chegam à sua extremidade, podem-se utilizar calhas e condutores externos ou executar uma pequena platibanda – nesse caso, utilizar calhas e condutores embutidos ou simplesmente deixar que a água caia e seja captada por meio de grelhas nos pisos externos. (JÚNIOR, 2009)
Platibanda: É uma pequena parede (murada) utilizada com a finalidade de esconder o telhado ou simplesmente embutir as calhas, caso em que o uso da platibanda é impreterível, assim como a colocação de condutores (embutidos ou externos) para a condução das águas pluviais. (JÚNIOR, 2009)

 2.5.1 – Partes constituintes do sistema de captação de água de chuva

Calhas: As calhas têm por objetivo coletar as águas de chuva que caem sobre o telhado e conduzi-las aos condutores verticais (prumadas de descida). As seções das calhas possuem variadas formas, dependendo, obviamente, das condições impostas pelo projeto arquitetônico e dos materiais empregados em sua confecção (chapas de aço galvanizado, folhas-de-flandres, chapas de cobre, PVC rígido, fibra de vidro, concreto ou alvenaria). (JÚNIOR, 2009)
Condutores verticais: São tubulações verticais que tem por objetivo recolher as águas coletadas pelas calhas e transportá-las até a parte inferior das edificações, despejando-as livremente na superfície do terreno, ou até as redes coletoras, que poderão estar situadas no terreno ou presas ao teto subsolo, por meio de braçadeiras, no caso dos edifícios com esse pavimento. (JÚNIOR, 2009)
Condutores horizontais: Os condutores horizontais têm por finalidade de recolher as águas pluviais dos condutores verticais ou da superfície do terreno e conduzi-las até os locais permitidos pelos dispositivos legais. (JÚNIOR, 2009)
Caixas coletoras de águas pluviais: É uma caixa detentora de areia e/ou inspeção, que permite a interligação de coletores e a limpeza e desobstrução das canalizações. Também devem ser executadas sempre que houver mudança de direção, de diâmetro e de declividade nas redes coletoras. (JÚNIOR, 2009)

2.5.2 – O projeto do sistema de captação de água de chuva

Níveis do terreno: Os níveis projetados da edificação devem ser convenientemente estudados pelo arquiteto com relação ao escoamento das águas pluviais por gravidade. (JÚNIOR, 2009)
Posicionamento de calha em telhados: De acordo com a NBR 10844, as calhas de beiral e platibanda devem sempre que possível, ser fixadas centralmente sob a extremidade da cobertura e o mais próximo desta. A inclinação das calhas deve ser uniforme, com valor mínimo de 0,5%, e no sentido dos condutores verticais. Já as calhas de água furtada têm inclinação de acordo com o projeto da cobertura. (JÚNIOR, 2009)
Condutores embutidos e aparentes: De acordo com a NBR 10844, os condutores de águas pluviais podem ser colocados externa e internamente ao edifício, dependendo de considerações de projeto, do uso e da ocupação do edifício e do material dos condutores. (JÚNIOR, 2009)
Sobreposição de telhados: É comum coletar águas de chuva em um telhado, em um nível mais elevado, e jogar em um telhado em nível mais baixo. Sabe-se que telhados são estruturas delicadas, e, portanto, não devem receber vazões concentradas, que se transformem em carga de impacto sobre ele. Quando isso acontece, são inevitáveis danos à edificação, podendo ocasionar umidade no madeiramento de sustentação, devido a infiltrações pelo telhado. (JÚNIOR, 2009)
Coberturas horizontais de laje: É muito comum o empoçamento de água em coberturas horizontais de laje, mesmo não ocorrendo tempestades. Isso, normalmente, acontece devido à declividade incorreta da laje para o escoamento da água e a obstrução ou quantidade insuficiente de ralos. Para evitar isso, as superfícies horizontais de laje devem ter declividade mínima de 0,5%, de modo que garanta o escoamento das águas pluviais até os pontos de drenagem. (JÚNIOR, 2009)

3 – Materiais e Métodos

O Presente artigo foi desenvolvido através de pesquisas em livros didáticos relacionados à engenharia ambiental, engenharia civil e instalações hidráulicas, além de pesquisas em internet em sites com assuntos relacionados ao tema do artigo.

4 – Resultados e Discussões

Entre as vantagens de se utilizar a água da chuva pode-se citar a redução no consumo de água potável, redução dos gastos com taxas de água, preservação da água na natureza, minimização de enchentes, alagamentos e ainda evita um possível racionamento de água.
O fato é que o sistema de captação de água de chuva proporciona bons resultados para os usuários, uma vez que a implantação não tem custo elevado e os ganhos são satisfatórios, com relação à conscientização ambiental, como na parte financeira.
A tendência é que com a obtenção de bons resultados, famílias e empresas que possuem um sistema de captação de água de chuva tendem a divulgar os bons resultados, consequentemente difundirão esse tipo de sistema, propiciando maior conhecimento e aumentando a utilização do reuso de água de chuva.
De acordo com a Tabela 1 pode-se observar o consumo de água mensal numa residência com cinco moradores que é de aproximadamente 29.000 litros de água. De acordo com as tarifas da Companhia de Saneamento Básico de São Paulo – SABESP, a conta de água dessa residência será de aproximadamente R$50,00. Pode-se observar na Tabela 2 os gastos mensais com a conta de água sem o sistema de tratamento de água de chuva e em seguida na Tabela 3 é possível observar a redução de custos após a implantação do sistema de captação de água de chuva para armazenamento de 10.000 litros de água, a redução é de quase R$ 30,00.
O custo de implantação do sistema de captação de água de chuva para armazenamento de 1.000 litros de água varia de R$ 1800,00 a R$ 2000,00, ou seja, com a redução dos gastos em R$ 30,00 o retorno do investimento será de até cinco anos.
 

5 – Conclusão

Após a realização de pesquisas sobre o sistema de captação de água de chuva e a comprovação de bons resultados através das tabelas, fica concluído que: o sistema de captação de água de chuva é viável.

6 – Bibliografia

Braga et al. Introdução à engenharia ambiental – O desafio do desenvolvimento sustentável. São Paulo: Earson, 2006, 2ª edição.

Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – CETESB. Ciclo das águas, disponível em: http://www.cetesb.sp.gov.br/Agua/rios/ciclo.asp, Acessado em: 10 de setembro de 2010.

Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – CETESB. Declaração universal dos direitos da água, disponível em: http://www.cetesb.sp.gov.br/Agua/rios/gesta_direitos.asp, Acessado em: 10 de setembro de 2010.
Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – CETESB. Reuso de água, disponível em: http://www.cetesb.sp.gov.br/Agua/rios/gesta_reuso.asp, Acessado em: 10 de setembro de 2010.

Graf – Aproveitamento de água de chuva. Um recurso a não desperdiçar, disponível em: http://www.graf.pt/Conceito/tabid/64/Default.aspx, Acessado em: 07 de setembro de 2010.

Júnior, R. C. Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura. São Paulo: Blucher, 2009, 2ª edição.

Neto, F. M. Reutilização da água pluvial, disponível em: http://www.precisao.eng.br/fmnresp/reutilizacao.htm, Acessado em: 07 de setembro de 2010.

Sabesp. Simulador de consumo, disponível em: http://www.sabesp.com.br/CalandraWeb/animacoes/index.html, Acessado em 21 de outubro de 2010.

Sabesp. Tarifas, disponível em: http://www2.sabesp.com.br/agvirtual2/tarifas/Comunicado%2007-2010.pdf, Acessado em: 05 de novembro de 2010.

Wandscheer, E. A. R. A escassez de água no mundo, disponível em: http://www.economiabr.net/colunas/wandscheer/agua.html, Acessado em: 04 de outubro de 2010.

Wikipédia. Ciclo da água, disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Ciclo_da_%C3%A1gua.jpg, Acessado em: 25 de agosto de 2010.
 


Comentários

  • Vitor Huber 28/8/2013 22:45:58 Parabens pelo trabalho, estou me formando agora e minha monografia é sobre reaproveitamento de aguas residenciais, você poderia me mandar o seu material, agradecido!!!!!!!!
  • Thainara 27/8/2013 22:05:28 oi, eu sou uma aluna do novo ensino medio politecnico e estou trabalhando sobre a captação da agua da chuva e sua reutilização. Adorei sei trabalho me ajudou muito para eu fazer o meu. Se voce tiver mais algum materia sobra a captação poderia me passar.
    E-mail: thai.zwirtes@gmail.com
  • Fábio Cunda 12/8/2013 10:35:25 Excelente o trabalho, estou fazendo um trabalho de captação de água da chuva para uso na escola na qual trabalho, sou professor de Matemática e estou pesquisando sobre o assunto, se você tiver algum material poderia me enivar por email.

    fabiocunda@hotmail.com

    Att

    Fábio Cunda
  • Amanda Mariano 28/7/2013 16:10:51 Helber, boa tarde!

    Fiquei interessadissima! Seu trabalho é excelente e gostaria de avaliar melhor o seu estudo. Poderia mandar o material completo para o meu e-mail?

    amanda.cmariano@gmail.com

    Obrigada.

    Abraços
  • gisele 15/7/2013 15:39:12 Sou estudante de Gestão Ambiental, e farei um projeto quanto a captação da água de chuva.
    Quanto a valores, o que precisa ser feito...
  • Helber Lorenzete 17/6/2013 20:05:47 Fabio da Silva, eu posso lhe enviar o material, mas preciso do seu e-mail para fazer isso. Aliás, peço desculpas a todos que me pediram o material, mas não tenho acesso ao e-mail de ninguém e assim não tem como eu mandar o material. Se ajudar de imediato, boa parte dos materiais consegui no site da CETESB, SABESP e em alguns livros. É só dar uma olhada na bibliografia do artigo.

    Muito obrigado a todos pelos elogios ao artigo!

    Helber
  • Fabio da silva 11/6/2013 21:28:40 Boa noite voce poderia mandar esse material pra mim, eu faço curso tecnico em meio ambiente , e preciso de alguma coisa pra fazer um projeto pra mim formar , e seu trabalho ficou otimo parabens.
  • Felipe Gauziski 13/12/2012 13:47:44 Sou coordenador de Gestão Ambiental da empresa.

    Estou vazendo estudos de viabilidade econômica para apresentar a minha direção, um projeto de sistema de captação de água da chuva.

    Tive a plena convicção, através da leitura do artigo que é possível obter resultados ótimos, com esta iniciativa.

    Parabéns pelo trabalho.


  • Alexandre Oliveira 14/11/2012 15:37:56 Boa tarde!
    gostaria de receber o material citado nos comentarios para saber mais detalhes do assunto.
    grato.
  • Graziela 15/10/2012 19:27:21 Olá sou estudante de Gestão Ambiental em Porto Alegre,estou fazendo um papers sobre captação de água de chuva para o uso doméstico, quer puder me ajudar mandando materia, ficaria muito grata, neste mesmo email.
    Um abraço, muito bom o trabalho.
  • Maria Paula Galvão 30/7/2012 19:36:43 Sou formada em gestão ambiental .Estou fazendo um projeto de captação de aqua da chuva em industrias ,achei esse trabalho muito legal um assunto renovador e muito atual ,estava precisando de uma ajudinha...Se possivel me manda o material para mim dar uma olhada.Obrigada e parabéns pelo belo trabalho!!!
  • Rejane Centofante 15/7/2012 21:25:53 Estou fazendo um papers sobre captação de água de chuva para o uso doméstico, quer puder me ajudar mandando materia, ficaria muito grata, neste mesmo email.
    Um abraço.
  • Valdirene Rodrigues Luiz 5/7/2012 12:52:24 Olá pessoal, tb estou fazendo meu tcc do curso de meio ambiente na etec em Cubatão, baseado na captação da água de chuva, gostaria de algumas dicas sobre o assunto. Parabéns par os colegas q ja conseguiram instalar o projeto; além da economia está ajudando o planeta na economia de água potável.
  • rafaela 25/6/2012 18:34:09 adorei! estou fazendo um trabalho para a escola e me ajudou muito
  • marilene evaristo 1/6/2012 23:32:28 Boa noite...por favor eu gostaria de saber qual o custo de implantar este sistema de captação de aguas de chuva em uma residencia com 100 metros quadrados...e onde encontro alguem capacitado para faze-lo em ribeirão preto são paulo..

    obrigada
  • Helber 29/5/2012 20:56:40 Rogério, por favor, deixe seu e-mail registrado no comentário para que eu possa enviar o material sobre o tema.

    Obrigado,

    Helber.
  • Rogério Barboza 20/5/2012 15:13:57 Boa tarde.

    Sou formando do curso de Engenharia Civil da Faculdade Dom Pedro II de Sao José do Rio Preto - SP, estou fazendo meu TFG sobre capação e reuso de aguas pluviais em condomínios, gostaria de receber material para abrir o tema que é tão complexo, gostaria de receber o material para poder concluir meu trabalho.

    Grato desde já.

    Rogério M. Barboza
  • Helber 27/4/2012 20:53:13 Por favor, as pessoas que solicitaram ajuda, deixem o e-mail para que eu possa enviar o material, ok.
    Muito obrigado!
    Helber Henrique
  • angelo 24/3/2012 7:16:25 se posssível me manda material referente ao aprveitamento das aguas de chuvas, pois faço palestras e pretendo concientizar das necessidades de reter as aguas de chuvas
  • max tony moritz 4/3/2012 11:29:32 Olá , estava pesquisando artigos sobre capação e tratamento de águas de rios e acabei chegando a este site, e gostaria se possível receber matérias teóricos a respeito do assunto, como estou fazendo um projeto para o meu curso de biologia na faculdade Guairacá de Guarapuava PR, neste tipo de ajuda deixo claro que irei por em minhas referencias o endereço e nome da empresa que por sua vez colaborar com este trabalho. desde já agradeço... Max tony
  • Chirley 1/11/2011 15:46:22 Tudos estes métodos são de grande valia para ordem e progresso. Sendo assim estão de parabéns estas mentes verdadeiramente brilhantes.
  • deisiane 25/9/2011 20:35:16 Seu trabalho é muito legal parabéns.
    Faço ADM e tenho um trabalho sobre Eng. Amb. Identificar 4 benefícios do uso da Internet no trabalho do Engenheiro Ambiental, exemplificando.
    Você poderia me ajudar por favor??

  • deisiane 25/9/2011 20:27:31 Seu trabalho é muito legal parabéns.
    Faço ADM e tenho um trabalho sobre Eng. Amb. 15. Identificar 4 benefícios do uso da Internet no trabalho do Engenheiro Ambiental, exemplificando.
    Você poderia me ajudar por favor??

  • João Maria Ribeiro 27/8/2011 0:51:58 Sou gestor ambiental e moro em Diadema-SP. Helder o seu trabalho é muito bacana, mesmo por que, eu e o meu grupo da faculdade desenvolvemos um projeto de captação de água da chuva voltado para um bloco da própria faculdade, sobretudo, ficamos muito felizes com a experiência que tivemos, na ocasião se tivéssemos o seu material teria nos ajudado bastante. Parabéns pela escolha do tema, haja vista que, todo projeto ambiental para a indústria geralmente é financeiramente viável.
  • João Maria Ribeiro 27/8/2011 0:49:56 Sou gestor ambiental e moro em Diadema-SP. Helder o seu trabalho é muito bacana, mesmo por que, eu e o meu grupo da faculdade desenvolvemos um projeto de captação de água da chuva voltado para um bloco da própria faculdade, sobretudo, ficamos muito felizes com a experiência que tivemos, na ocasião se tivéssemos o seu material teria nos ajudado bastante. Parabéns pela escolha do tema, haja vista que, todo projeto ambiental para a indústria geralmente é financeiramente viável.
  • Davi Gonzaga Cardoso 7/6/2011 1:01:41 Sou arquiteto e moro em Goiânia-GO. Muito bom seu artigo sobre o
    reuso da água pluvial. Tenho implantado em alguns projetos a captação da água pluvial para infiltração no solo e ou uso da água pluvial em residências e edificações comerciais na limpeza de pisos, rega de jardins e lavagem de carros. Não é fácil convencer os clientes das vantagens do reuso da água pluvial, mas não podemos nunca desistir dos princípios de economia da água tratada.
    arq. Davi Cardoso
  • Daniel Barreto de Oliveira 18/5/2011 8:42:40 Muito bom, esse trabalho.
  • Osvaldo Esmerindo de Souza 28/4/2011 16:04:34 Helber Henrique,seu trabalho é fantástico.Estou fazendo um trabalho na prefeitura que é o "Projeto Cisterna" para ser implantado nos prédios públicos, eu estava precisando de uma base, e o seu artigo vai ajudar muito.Parabéns!!!!
First 1 Last 
Comentário

Nome: 

E-mail:


Os comentários estão sendo moderados, não há necessidade de re-enviar. Em breve o comentário estará disponível!

O e-mail não será exibido!
< Voltar

Publicidade





Formas de Pagamento

PagSeguro

Newsletter

Nome:

Email:

Desejo receber informativos dos parceiros da Revista Meio Ambiente Industrial

Social