Home Seções Economia Verde TOMRA celebra o 45 anos após período de resultados recordes

TOMRA celebra o 45 anos após período de resultados recordes

0
0

Começando em uma pequena vila em Asker, na Noruega, os irmãos Petter e Tore Planke criaram uma solução para um problema: um comerciante local queria uma máquina automatizada que pudesse rápida e facilmente recuperar garrafas usadas e vazias para reciclagem, e assim nascia a TOMRA. Até o final de 1972, a TOMRA tinha instalado 29 máquinas na Noruega, e seus sucessos rapidamente começaram a gerar interesse no exterior.

Desde esse humilde começo, a TOMRA diversificou sua oferta e expandiu seu alcance. Durante os primeiros 30 anos de sua história, a empresa concentrou o crescimento de seu negócio nos sistemas de venda reversa em mercados com o depósito para embalagens de bebidas. Em 2000, a empresa começou a desenvolver uma plataforma de negócios mais abrangente, e através de uma série de aquisições estratégicas durante as últimas duas décadas, TOMRA tornou-se um líder no fornecimento de tecnologia de separação ótica para ampla variedade de materiais.

Quase 45 anos depois, a TOMRA, em 2016, registrou receitas recordes de aproximadamente €710m, com 90.000 sistemas instalados em mais de 80 mercados em todo o mundo.

As soluções baseadas em sensores da TOMRA são usadas hoje em venda reversa, reciclagem, mineração e triagem de alimentos. As aplicações de reciclagem incluem diversos fluxos de resíduos e metais nos quais os separadores óticos suportam gerenciadores de resíduos com recuperação e triagem eficazes de recursos secundários valiosos, enquanto que as soluções de triagem e seleção de alimentos da TOMRA são utilizadas para aumentar a capacidade de processamento, qualidade, segurança, rendimento e lucro.

Os equipamentos de mineração garantem uma recuperação mais eficiente de minerais e minérios e, em 2015, localizou o Lucara Diamond em Botswana, o segundo maior diamante de qualidade da história. Ao todo, a tecnologia TOMRA desempenha um papel de liderança na ajuda às diversas indústrias a alcançar processos de negócio eficientes, melhorar a utilização dos recursos e promover um ambiente melhor.

Stefan Ranstrand, Presidente e CEO da TOMRA, disse: “Nosso crescimento e longevidade deve-se, em parte, à crescente compreensão de que o mundo precisa utilizar seus recursos naturais de maneira melhor para garantir a sustentabilidade. Estamos orgulhosos do sucesso que a nossa empresa alcançou até agora, e estamos ansiosos para, próximos anos, continuar a construir e desenvolver soluções de ponta para ajudar nossos clientes a atender às suas necessidades de negócios e contribuir para um futuro melhor e mais sustentável”.

TOMRA aos 45: Duas principais áreas de negócio

A TOMRA desenvolveu uma empresa robusta centrada em duas áreas de negócio: Soluções de Coleta (venda reversa e recuperação de materiais) e Soluções de Separação (reciclagem, mineração e alimentos).

Para garantir que a tecnologia inovadora continue a apoiar as empresas e seus objetivos, é importante continuar focando em como transformar a maneira como o mundo obtém, usa e reutiliza seus recursos, analisando as próximas inovações importantes e como elas podem apoiar o meio ambiente e com isso os objetivos de negócios dos nossos clientes.

Produtividade ideal dos recursos

“Os recursos globais estão sob mais pressão do que nunca”, continua Ranstrand. “Uma população crescente – e um consumo crescente – significam que recursos finitos estão sendo usados ​​em um ritmo insustentável. O mundo está consumindo mais recursos e produzindo mais resíduos do que a natureza pode substituir ou absorver a cada ano. Agora, mais do que nunca, o mundo precisa de uma revolução de recursos”.

“A TOMRA aspira a ser líder na revolução de recursos ao explorar e habilitar constantemente novos meios de otimizar a produtividade dos recursos. Desta forma, a tecnologia baseada em sensores da TOMRA está desempenhando um papel fundamental no apoio à economia circular e também ajudando as organizações a aumentar a produtividade sem ter um impacto prejudicial sobre o meio ambiente”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *