Home Seções Eficiência Energética Novas regulamentações trazem otimismo para a indústria de energia

Novas regulamentações trazem otimismo para a indústria de energia

0
0

Uma onda de novas regulamentações está atingindo o setor de energia no País, deixando os empresários do segmento mais otimistas. No último mês, o Ministério de Minas e Energia disponibilizou para consulta pública uma ampla reforma na regulamentação do setor elétrico nacional, que objetiva a privatização das antigas usinas do sistema Eletrobrás e mudanças no modelo de venda de eletricidade gerada. A expectativa é que os resultados da consulta pública sejam refletidos na Medida Provisória para a reforma do setor já no mês de setembro, disse o ministro Fernando Coelho Filho a uma plateia de empresários de São Paulo, dia 17 de agosto.

Além disso, a partir de 1º janeiro de 2018, os grandes consumidores poderão solicitar a adesão à tarifa branca de energia elétrica, que é a adoção de preço diferente de acordo com o horário de consumo. A adesão é opcional e estará disponível, a princípio, para as novas ligações e com unidades que consomem mais de 500 quilowatts-hora (kWh) por mês. Com a tarifa branca, a energia consumida fora do horário de pico será mais barata, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A forma que as distribuidoras estão se preparando para a implementação da tarifa branca é inclusive tema de um dos painéis que integram a programação de conferência da Latin American Utility Week (LAUW), principal encontro de utilities da América Latina, que acontece de 19 a 21 de setembro no Transamerica Expo Center, em São Paulo. Mediado pelo consultor João de Souza Junior, o debate já tem confirmada a participação de utilities como COPEL, EDP e ENERGISA.O CEO da Nansen, fabricante de medidores de energia elétrica e uma das empresas expositoras da LAUW, Alexandre Suprizzi, acredita que a tarifa branca, bem como outros fatores legislativos, pode contribuir para o aumento da demanda no mercado de medidores já no segundo semestre de 2017. “A tarifa branca instituída pela Aneel e a alteração do módulo 8.1 do Prodist (Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional), objetivando a redução das tarifas para os consumidores de baixa tensão e a melhoria na qualidade de energia para clientes livres, resultarão em mais oportunidades de mercado”, destaca.

Nesse sentido, o executivo explica que a aposta da Nansen para o segundo semestre do ano é a nova família de medidores inteligentes, a NSXi, e o KS 37, medidor preparado para a tarifa branca. O lançamento da linha acontecerá na 15ª LAUW, no próximo mês.

“Nossa expectativa é que a demanda represada dos últimos meses surgirá ao longo do restante do ano”, diz Suprizzi. Pensando nos próximos anos, o CEO da Nansen afirma que o potencial mais significativo do setor elétrico está nos negócios ligados às redes inteligentes, uma vez que as empresas de energia estão focadas em tecnologias que são capazes de trazer melhores receitas e menos custos para as operações.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *