Home Seções Economia Verde Conferência P + L e Mudanças Climáticas alcança 15º ano
1

Conferência P + L e Mudanças Climáticas alcança 15º ano

0
1
Cerimônia de abertura da 15ª Conferência P+L
Cerimônia de abertura da 15ª Conferência P+L

Em sua 15ª edição, a Conferência de Produção mais Limpa e Mudanças Climáticas, idealizada e presidida pelo vereador Gilberto Natalini (PV/SP), realizada no dia 30 de junho de 2016, reuniu mais de 2.000 pessoas em um diálogo produtivo entre cidadãos, entidades, ONGs, universidades, governo e iniciativa privada. Com o tema Bairro a Bairro: São Paulo mais verde/ Mudanças Climáticas – Desdobramentos da COP 21, esta edição contou com o apoio de mais de 300  parceiros. O evento é oficial da Câmara Municipal.

A “Conferência P+L” é um fórum de discussão no “âmbito municipal, mas com repercussão estadual e nacional, que ensejou várias leis (água de reúso, reaproveitamento de poda de árvores, etc) e Projetos de Leis. Este ano a temática foi sobre zoneamento, arborização e paisagem urbana, vertentes de uma política de uso e ocupação do território de forma sustentável, promovendo a qualidade de vida e engajando a população a partir da discussão local. Para o vereador Natalini, “tudo o que acontece na cidade tem que, primeira e necessariamente, ser discutido entre os moradores dos bairros”.

Dos bairros às cidades, passando pelos Estados, Países e mundo globalizado os efeitos das mudanças climáticas são consenso. Todos sabem que é necessário estabilizar a temperatura da atmosfera do planeta em um nível seguro, abaixo de 1,5 ºC, o que significa que as emissões líquidas de carbono precisam ser reduzidas a zero antes de 2050.

Entretanto, apesar de se ter logrado um acordo envolvendo 195 países na COP 21 em Paris (na qual o vereador Gilberto Natalini representou a cidade de São Paulo), as propostas de redução estão aquém do necessário. Como a população mundial está cada vez mais urbanizada, a solução necessariamente passa por ações locais, sobretudo, no setor de energia e transporte. Crucial é se adotar fontes não fósseis para o transporte de massa. Segundo Natalini, São Paulo recuou muito nisso com o fim do programa Ecofrota e com o edital lançado em 2015 pela Prefeitura, prevendo diesel pelos próximos 40 anos.

A palestra magna esteve a cargo do Dr. Cândido Malta, professor emérito da FAU/USP, que foi antes homenageado com o diploma de gratidão da cidade de São Paulo e a medalha Anchieta, maior láurea concedida pela Câmara Municipal. Ele traçou um amplo panorama sobre os fundamentos do urbanismo, que conduz a cidades saudáveis, citou exemplos de cidades planejadas, frisou a importância de instrumentos de planejamento como o cálculo da capacidade de suporte e deu ênfase de se buscar maior tranquilidade, menos ruído, tráfego e mais arborização e espaço de convívio, por ser este o desejo da maioria da população.

Na sequência, foram homenageados com o Prêmio Responsabilidade Socioambiental (medalha e diploma) da Câmara Municipal, honraria criada pelo vereador Natalini, o jornalista Washington Novaes do Estadão, o programa Repórter Eco da TV Cultura e a Cetesb – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo.

Durante o almoço com quitutes juninos, os participantes visitaram os estandes. Destaque para a demonstração da máquina trituradora de isopor, em desenvolvimento pela indústria Santa Luzia, em parceira com o INT – Instituto Nacional de Tecnologia.

Na parte da tarde foram compostas duas mesas para debates. Na 1ª proferiram palestras sobre zoneamento o Prof. Dr. José Lefèvre da FAU/USP e presidente do Condephaat e o Engenheiro Dr. Ivan Maglio, com mediação de Walter Lazzarini, presidente do Conselho Superior de Meio Ambiente (Cosema) da Fiesp. O prof. Lefèvre tratou da importância da preservação da memória coletiva e o Dr. Maglio discorreu sobre as falhas do Plano Diretor (PDE), que disponibiliza mais 89 milhões de m² para a incorporação imobiliária, que não produz nem 4 milhões de área construída por ano.

Na 2ª mesa, se pronunciaram o pesquisador do IPT, Sergio Brazolin, tratando de como avançar rumo a uma maior arborização; e a Profa da PUC-Rio e diretora da Associação Nacional de Paisagismo, Cecília Herzog. Ela mostrou experiências internacionais de paisagismo integrado e inovador. A moderação foi feita pelo jornalista Leão Serva do Estadão.

Ao final o vereador Natalini fez um balanço do evento, da luta continuada para se conter retrocessos e progredir rumo a uma São Paulo mais sustentável. A minuta da carta compromisso do evento foi apresentada e será encaminhada por email para todos participantes para apreciação. A versão final será publicada na página da conferência e encaminhada a todos os candidatos a prefeito e a todos diretórios municipais dos partidos, para que as propostas tenham desdobramentos.

Comentário(1)

  1. OLÁ BOA NOITE QUANDO FALA ,EM MUDANÇA CLIMÁTICA FICO FELIZ POR TANTOS PROJETO , TENHO UMA INVENÇÃO NOBRE NA DESPOLUIÇÃO DO AR PROVIDO DOS MOTORES DIESEL , UM PROCESSO QUÍMICO , QUE SE TORNOU-SE MUNDIAL DE MINHA AUTORIA , ARLA 32 , VENDIDO NOS POSTOS DE GASOLINA , UM AGENTE ADTIVO , QUE LIMPA 98 POR CENTO DO AR AMBIENTE . NOS VEÍCULOS MOTORES DIESEL . SOU MORADOR DE MESQUITA RJ , CONTATO , JÁ ESTA AI , TENHO OUTRO IGUAL ESSE OU MELHOR , SOBRE ENERGIA AUTO- SUSTENTÁVEL OBRIGADO ..
    MESQUITA RJ

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *